quinta-feira, 7 de Janeiro de 2016 10:47h Agência Minas

Circuito Liberdade tem programação de férias cheia de novidades

Espaço estreia 2016 com inúmeras atividades na agenda. Todas as atrações, de todos os espaços, direcionadas a crianças e adultos, são gratuitas

Os espaços do Circuito Liberdade trazem uma programação especial de férias que, em 2016, chega caprichada. Entre as atrações, se destacam atividades especiais, dirigidas tanto às crianças quanto aos adultos e diversas oficinas oferecidas gratuitamente, além da programação permanente deste importante corredor de cultura do país, abrigado em uma área histórica da capital mineira.

“As férias são, sem sombra de dúvida, um momento de descanso para as crianças e para os pais, mas é também a oportunidade de vivenciar atividades educativas complementares, através do entretenimento e da cultura. A Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa e os equipamentos que compõem o Circuito Liberdade realmente são a mola propulsora das atividades culturais na cidade de Belo Horizonte”, ilustra o superintendente de Bibliotecas Públicas e Suplemento Literário, Lucas Guimaraens.
Ele destaca, ainda, uma pérola na programação da Biblioteca: “A nossa grande novidade este ano é a palestra “Economia, trabalho, consumo e na atualidade para os jovens”, que será ministrada pelo economista, professor universitário e coordenador do Comitê de Educação do Circuito Liberdade, Gelton Filho.

O economista vai explicar de maneira lúdica como jovens podem calcular a vida financeira e iniciar 2016 com novas perspectivas. A palestra, que será realizada na sala de cursos do prédio Professor Francisco Iglesias, nos dias 20 e 27 de janeiro, é voltada aos jovens, mas tem indicação livre para qualquer faixa etária.

 

Espaço do Conhecimento

O Espaço do Conhecimento traz seis temas diferentes a serem trabalhados com participantes de todas as faixas etárias. Vão desde atividades que explicam as fases da Lua – e a melhor visibilidade do astro em qualquer dia ou horário do ano – até a oficina de “Desenho Cego”.

“Essa, do Desenho Cego, é muito interessante. Os participantes são estimulados a identificar com as mãos, sem olhar, vários objetos. Depois, desafiados a desenhá-los. É sempre divertido, pois a imprecisão abre portas parar a criatividade”, diz a ministrante da oficina que acontece no dia 21 de janeiro, Jenifer Costa.

Outro destaque são as oficinas no formato “Libras”, parte do Projeto “Quinta com Libras”, que fazem parte da programação. O objetivo das atividades é aproximar pessoas que estudam ou são fluentes na Língua Brasileira de Sinais (Libras), transformando o museu em um local de trocas e de encontros, mais acessível a todos.

Para além das oficinas, as atividades desenvolvidas pelos Núcleos de Astronomia e de Ações Educativas do museu também serão oferecidas, preenchendo o local com música, desenhos, teatro, jogos, ciência e história.

Já a exposição “O legado de Martim Afonso de Sousa e Dona Ana Pimentel na formação do Brasil”, mostra a relevância histórica do casal no desenvolvimento colonial, apresentada ao público no segundo andar do Espaço do Conhecimento, pode ser vista até o dia 14 de fevereiro.

Os participantes são convidados a viajar no tempo e no espaço do passado colonial e, assim, investigar a construção do Brasil nesse período a partir da materialidade e historicidade dos documentos recolhidos.

O destaque da mostra é dado ao testamento do casal, documento de 1533, que foi doado para o Acervo de Obras Raras da UFMG em 1971.

 

Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa

Na Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa, a maior parte dos eventos acontecem no setor Infantojuvenil.

Nestas férias, uma boa dica para o sábado de 16 janeiro, é o espetáculo "No Jardim das Margaridas", com Kátia Peifer e músicos convidados. Na quinta-feira (21/1), um divertido "Quiz Literário" vai testar os conhecimentos dos leitores.

A Biblioteca também terá Oficina de Origami e o Carro-Biblioteca leva a Roda de Leitura até o bairro Diamante, na região do Barreiro.

 

Casa Fiat de Cultura

Para os adultos – e os não tão adultos assim – a Casa Fiat de Cultura preparou uma oficina de máscaras de Carnaval que, neste 2016, chega na primeiríssima semana de fevereiro. O "Ateliê de Férias Passarinhar" começa no dia 12 de janeiro e continua até o dia 4 do mês seguinte.

O tema “Passarinhar” foi inspirado nos pássaros que aparecem no famoso painel "Civilização Mineira" (1959), de Candido Portinari em exposição permanente no hall de entrada da Casa Fiat.

“Capricharam tanto que não consegui fechar até agora”, revela, bem humorada, a assessora de comunicação do Museu das Minas e do Metal, Paola Oliveira, sobre a programação de férias da Casa Fiat.

Os participantes poderão escolher desde moldes de máscaras de pássaros típicos da cidade e exemplares da fauna brasileira, passando pelos pássaros exóticos e pelos pássaros fantásticos.

O "Ateliê Passarinhar" está com a seguinte programação: “Pássaros da Cidade”, entre 12 e 17 de janeiro; “Pássaros da Fauna Brasileira”, 19 e 24 de janeiro; “Pássaros Exóticos”, entre 26 a 31 de janeiro; e “Pássaros Fantásticos”, entre 2 e 4 de fevereiro.

Não é necessária inscrição prévia, no entanto, cada turma tem um limite de 15 vagas por horário. Crianças menores de 12 anos devem estar acompanhadas pelos pais. Depois disso, é só cair na folia com sua máscara personalizada.

 

Museu Mineiro

No Museu Mineiro, a exposição “Pareidolia”, com obras em colagens do artista plástico Roberto Marques, apresentará ao público cerca de 80 trabalhos em colagem com papel colorplus, sendo 20 trabalhos inéditos, concebidos especialmente para a ocasião.

A palavra que dá título à exposição é bem pouco utilizada, embora seu significado esteja ligado a um conceito de uso comum: associar imagens criadas aleatoriamente na natureza a um objeto ou a uma figura real. Assim, comumente vimos em nuvens, montanhas, líquidos escorridos ou manchas algum tipo de imagem do nosso cotidiano – isto é, Pareidolia.

As obras exibidas na Sala de Exposições Temporárias do Museu Mineiro, até o dia 13 de fevereiro, fazem parte das séries elaboradas por Roberto Marques, como "Sertão Encarnado", "Grafismo", "BH 100 anos", "5 Cidades", entre outras, trazendo inúmeras possibilidades de ação educativa e participação do público de todas as idades.

O polêmico quadro “A Má Notícia”, assinado por Belmiro de Almeida, de 1897, parte da coleção da Pinacoteca volta a ser exposta no Museu Mineiro e ocupa lugar especial ao fundo da sala, rendendo todos os olhares.

Paisagens e retratos datados do final do século XIX, até meados do século XX, com instigante potencial para estudos acadêmicos, estão em exposição, até o dia 30 de março, na Sala Multiuso do museu. O horário de funcionamento é às terças, quartas e sextas, das 10h às 19h; quintas,das 12h às 21h; e sábados e domingos, das 12h às 19h.

 

Centro de Arte Popular - Cemig

A religiosidade expressa na arte é o tema da exposição “O Toque Mágico de Ricardo Costa – Esculturas”, que apresenta ao público uma seleção de 22 peças feitas em madeira, pedra-sabão e cascalho, de pequeno, médio e grande porte.

As obras do artista, que ficam expostas até o dia 14 de fevereiro, no Centro de Arte Popular-Cemig, transitam entre temas religiosos por meio da representação de madonas, cristos e profetas.

Também no Centro de Arte Popular, o Trio Mineiro de Viola, encerra nos dias 14 e 28, às 19h, suas apresentações. O Trio é composto pelos violeiros Geraldo Almeida, Carreteiro e Zaquel, deriva da Orquestra Mineira de Violas e tem o objetivo de resgatar a música sertaneja de raiz. O grupo interpreta clássicos populares, como Chico Mineiro, Chalana, Menino da Porteira, entre outros.

 

MM Gerdau - Museu das Minas e do Metal

Diversão e aprendizado não vão faltar nas temáticas das oficinas do Museu MM Gerdau preparadas para crianças de todas as idades e suas famílias, abordadas de forma leve e descontraída.

A novidade este ano é que as oficinas serão oferecidas entre 5 de janeiro e 5 de fevereiro, das 12h30 às 17h, e terão duração média de 15 a 30 minutos.

As crianças poderão gastar mais tempo na oficina de que mais gostaram ou fazer outras dinâmicas que acontecem em algum ambiente ou atração do museu. O participante pode escolher qual oficina fazer e por quanto tempo.

A agenda completa das oficinas do MM Gerdau está disponível clicando aqui. A página oficial do museu pode ser conferida no link: www.mmgerdau.org.br. A tarde de férias é livre no MM Gerdau.

 

Memorial Minas Gerais Vale

No Memorial Vale, dentro de uma agenda diversificada, um programa em especial se torna imperdível para os meninos. É o “Show de Calouros”, concebido só para a garotada.

Funciona assim: os cantores mirins fazem suas inscrições, depois pedem para o ‘maestro’ – um tecladista que conhece quase todas as canções do planeta – uma música de sua preferência e, no auditório do Memorial, ‘defende’ sua canção. A criança que se animar com a brincadeira, poderá se inscrever na hora.

Duas exposições, também no Memorial, marcam os cinco anos de existência do espaço, ocupando as galerias do espaço e ampliando a programação de férias.

“Cenas – 5 anos Memorial Vale” revela ao público, até o dia 16 de fevereiro, registros, em grande parte feitos pelo fotógrafo mineiro Guto Muniz, dos arquivos de imagens que mostram o Memorial como um local de fruição cultural, com atividades artísticas em cada canto, um museu da experiência que é vivo e pulsante, oxigenando ideias e trazendo a arte para habitar também os visitantes.

“Cama, mesa e escada”, do artista Marco Paulo Rolla, que fica em cartaz até 15 de fevereiro, traz obras inéditas e outras já exibidas em projeções, fotografias, objetos e esculturas, desenhando um trajeto pelo trabalho do artista que busca estabelecer ao cotidiano outras significações possíveis, que possam servir como trilhas para, no meio da vida ordinária, perceber novas singularidades e outros traços poéticos, além de questões ligadas à experiência estética contemporânea e suas multiplicidades.

Neste mês, o Memorial destaca uma ação especial relacionada à exposição “Cama, Mesa e Escada: Corpo é Casa / Corpo é Ação / Corpo é Ficção. A prática, que acontece aos sábados, às 15h, tem o objetivo de questionar a banalidade do cotidiano, o movimento acelerado do pensamento, a brevidade dos atos que, em si, adquirem uma poética na própria efemeridade – que significa curta duração de tempo de uma situação.

Aos domingos ocorrem as visitas mediadas, com grupos de até 10 pessoas, sempre às 11h, 12h, 13h, 14h e 14h30, com duração de uma hora cada.

Em função das férias escolares, as visitas mediadas das 11h serão dedicadas às crianças, exceto no dia 10 de janeiro, quando a visita acontecerá às 12h, após o evento “Eu, Criança, no Museu!”.

 

Verão Arte Contemporânea

Para completar a programação dos equipamentos do Circuito Liberdade, o Verão Arte Contemporânea – VAC 2016 chega à 10ª edição comemorando a continuidade de uma proposta voltada para a valorização da cultura local, visando o incentivo à criação artística, à pesquisa e à experimentação nas artes.

Com este objetivo, mais uma vez, o VAC irá reunir artistas, grupos e criadores das áreas de arquitetura, artes visuais, cinema, dança, gastronomia, literatura, moda, música e teatro, mostrando suas obras e projetos mais recentes, em conexão com a proposta de contemporaneidade que caracteriza o evento.

A programação completa, que ocorre entre os meses de janeiro e fevereiro, pode ser acessada no site oficial: veraoarte.com.br/2016.

 

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.