segunda-feira, 18 de Janeiro de 2016 12:21h Paulo Victor Chagas - Repórter da Agência Brasil

Concurso para eleger Rainha das Virgens dá início ao carnaval de Brasília

Com a animação de quem está só começando a curtir a folia, embalados pela percussão do grupo Patubatê, e com criatividade de sobra, os foliões brasilienses deram início à diversão carnavalesca neste domingo

Para o Bloco Virgens da Asa Norte, que abre o carnaval de Brasília, um dos pontos altos é a eleição da Rainha das Virgens, e, apesar da chuva no começo do concurso, os candidatos já disputavam o seu espaço.

“A virgem do ano tem que ser uma pessoa carismática, um ícone do carnaval brasiliense, ser totalmente despojada, ter estilo, se jogar, tem que ser 'O Carnaval'. É tipo eu, né?”, vangloria-se Enmanuel Queiroz, 32 anos, um dos mais animados foliões que se concentravam no local. Mesmo debaixo do chuvisco que caía na Asa Norte no início da tarde, Enmanuel não perdia o bom humor e procurava provocar os concorrentes.

 

 

Ele disse que já foi vencedor do concurso em anos anteriores, se fantasiando de Garota Fantástico, Carla Perez e Globeleza. “Este ano, estou querendo ganhar meu terceiro campeonato. Já ganhei em dois anos consecutivos. A gente vai pegar as moças e selecionar por aclamação popular no desfile. As moças de qualidade, claro. Não essa desqualificada, que vai disputar o título de Miss Mocreia 2016”, brincou, referindo-se a um vizinho fantasiado.

Para a estudante Beatriz Zanine, 16 anos, a chuva não é um empecilho. “Eu estou bem animada. Sempre passo o carnaval em uma chácara, então este é o primeiro que eu estou indo, e estou gostando bastante”, disse. Ao lado do amigo Cláudio Gabriel Ferreira, que não falou se concorreria ou não no concurso, Beatriz brincou com o título do bloco. “Na hora que eu vi o nome Bloco das Virgens, falei: 'Já não posso ir, né?' Porque, convenhamos. Mas, enfim, estou aqui”.

 

 

Dizendo-se conhecedor da fama do Bloco das Virgens em outros estados, mas pela primeira vez em Brasília, o estudante de comunicação Matheus Gomes, 20 anos, disse que está animado para curtir o período na capital federal, onde segundo ele vem melhorando. “O carnaval aqui vem mudando. Tem blocos em Brasília que não são só de axé. Alguns saem com um perfil diferenciado. E é mais aqui que isso acontece. Isso é interessante”, afirmou.

Entre um e outro gole de vinho, o colega de Matheus, Victor Rodrigues, 20 anos, disse que a bebida é para “aguentar o frio”. Já sobre os preservativos distribuídos gratuitamente, dos quais pegou alguns, ele brincou: “É porque eu sou virgem mesmo (risos). Mas se acontecer, a gente tem aí como se prevenir”.

Já para a nutricionista Keilane Regina, o carnaval vai ser uma oportunidade de trabalho. Vendendo arranjos de flores para a cabeça ao lado da irmã Keilane, torcia para que a chuva diminuísse para que seu comércio pudesse melhorar. “A gente sabia que ia chover, mas não pensava que ia ser o tempo inteiro. A gente pensou que ia dar uma trégua, está complicado, mas a gente está na esperança que melhore”.

 

 

Esta é a sexta vez que o Bloco Virgens da Asa Norte abre o carnaval de Brasília. Além do desfile pelo Setor Bancário Norte e do concurso para a Rainha das Virgens, o fundador do grupo Henrique Aragão conclamou o folião da cidade a brincar. “É um carnaval de paz, para todo mundo, para toda família e para todas as famílias. Todo mundo é muito bem-vindo, só precisa trazer muita paz, muito amor no coração e vir brincar com a gente”.

 

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.