terça-feira, 5 de Abril de 2016 12:25h Secretária de Cultura de Minas Gerias

Coral Lírico de Minas Gerais inicia a temporada da série Lírico no Museu com obras de Verdi, Gounod e Carlos Gomes

Com um programa diversificado, o Coral Lírico de Minas Gerais participa da Série Lírico no Museu, apresentando trechos do repertório que será interpretado ao longo do ano de 2016

É o caso, por exemplo, de um trecho do Requiem, composto por Giuseppe Verdi, apresentado na abertura da temporada de concertos da FCS e fragmentos das óperas que serão montadas pela Fundação Clóvis Salgado em 2016: Romeu e Julieta, de Charles Gounod; e o Guarani, de Carlos Gomes. A regência é do Maestro Titular do Coral Lírico de Minas Gerais, Lincoln Andrade.

O concerto tem início com a apresentação de Sanctus, trecho do Requiem. Para Lincoln Andrade, trata-se de um trabalho notável do compositor italiano, considerado um exemplo claro do progresso e desenvolvimento da escrita musical do compositor italiano. “A força dramática da obra lhe confere uma interpretação quase que operística, com composições marcadas por uma poderosa construção instrumental”.

 

 

A composição foi composta em homenagem à Alessandro Manzoni, escritor e humanista, do qual Verdi era grande admirador. O Sanctus et Benedictus juntos, foram escritos para dois coros e quatro vozes cada um e representa um momento de grande contrição.

Na sequência, estão três obras seculares, com trechos de óperas. Primeiro as composições Vérome vit já dis deux families rivales e L’heure s’envole, da ópera Romeu e Julieta, respectivamente Prólogo e Coro de abertura do primeiro ato. No Prólogo são apresentadas as famílias e preparado o ambiente da história de amor que envolve os integrantes dos clãs Capuleto e Montecchio; Aspra, crudel, terrible, Coro di Aimorè, da ópera O Guarani, de Carlos Gomes, encerra o concerto.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.