quinta-feira, 18 de Fevereiro de 2016 12:22h Atualizado em 18 de Fevereiro de 2016 às 12:25h. Secretária de Cultura de Minas Gerias

Cultura de Oliveira é valorizada pelo Governo de Minas Gerais

Os elementos de identidade das cidades passam por suas características mais fortes. Oliveira, por exemplo, é um polo irradiador e concentrador de arte e cultura

Atendendo à demanda crescente do município do Campo das Vertentes, o governo estadual, por meio dos Secretários de Cultura e Meio Ambiente, Angelo Oswaldo e Sávio Souza Cruz, e do Instituto Estadual de Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (IEPHA-MG), realiza ações de conservação cultural na cidade. Através de esforços conjuntos, os órgãos mineiros vêm garantindo a efervescência cultural de Oliveira com o tombamento do centro histórico, restauro da Casa de Cultura e a conclusão do teatro municipal.

 

 

 

Oliveira, cidade da cultura

Por Angelo Oswaldo

Secretário de Cultura de Minas Gerais

 

 

 

Oliveira, para mim, é referência permanente. Berço de minha avó materna e de tantos familiares queridos, aparece a toda hora nas conversas com meu confrade da Academia Mineira de Letras, Olavo Romano, oliveirense de Morro do Ferro, ou o deputado Sávio Souza Cruz, colega do Governo Fernando Pimentel, admirado e dinâmico secretário de Estado de Meio Ambiente. Priscila Freire, personalidade da cultura, acompanha de perto os desafios da cidade. O médico Francisco Bastos, madrugando nas caminhadas na praça da Liberdade, acena e pergunta: "E Oliveira?"

No gabinete de Sávio Souza Cruz, uma bela foto noturna da Matriz iluminada, simboliza o carinho do parlamentar com a cidade dos congados e dos cai-n'água, das memoráveis procissões da Semana Santa e dos casarões centenários. Foi junto a essa fotografia que acertamos uma ação especial da Secretaria de Estado de Cultura e do IEPHA/MG no sentido de fazer do tombamento de Oliveira não um instrumento de sufoco, desestímulo e paralisia, mas um incentivo à valorização da cultura, à proteção das características que a tornam uma cidade de beleza rara e forte encantamento. Precisamos fazer no patrimônio o que Sávio empreende no meio ambiente.

Assim, estivemos duas vezes em Oliveira, na Casa de Cultura Carlos Chagas, na qual meu bisavô, João Continentino, instalou a comarca e o primeiro fórum, e em diversos outros espaços ligados à ação cultural e ao patrimônio. A presidente do IEPHA, Michele Arroyo, e a superintendente de Museus, Andrea Magalhães de Matos, promovem atividades que já resultam em novas e estimulantes perspectivas para os acervos e edificações oliveirenses. O Governo Fernando Pimentel viabiliza o restauro da Casa de Cultura e a conclusão do sonhado Teatro.

Ao somar esforços com a secretária Nem Campos e a Prefeitura, a Diocese, na qual Dom Miguel Ribeiro zela com carinho pelas questões do patrimônio e da arte sacra, dos artistas e produtores, como o poeta Márcio Almeida, o diretor de teatro Márcio Gato, o pintor e escultor Sérgio Carvalho e o arquiteto Heraldo Laranjo, queremos participar do esforço de todos em favor da vocação cultural de Oliveira. Enquanto a maioria das cidades assiste à deterioração de suas marcas de identidade e perde as expressões de seu patrimônio, Oliveira se fixa como exemplo, por meio do qual patrimônio e cultura geram empregos, ampliam a renda e a qualidade de vida, inaugurando a era da economia criativa.  

 

 

 

A importância do tombamento do núcleo histórico de Oliveira

Por Michele Arroyo – Presidente do IEPHA-MG

O Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais, Iepha-MG, fez um estudo detalhado sobre a cidade de Oliveira, localizada na região oeste do estado, que resultou no tombamento do núcleo histórico do município em 2014. As discussões para a proteção se estenderam durante vários anos junto à administração municipal e a comunidade. Mas diversas lacunas em relação às diretrizes de proteção e a própria construção de uma gestão compartilhada entre o município e o Governo do Estado ficaram em aberto.

Já com a nova gestão, iniciamos, juntamente com a Secretaria de Estado de Cultura, uma reaproximação com as principais lideranças políticas e culturais de Oliveira para uma reflexão conjunta sobre as diretrizes de proteção do tombamento, tanto o estadual quanto o municipal. Além disso, consta em nossa pauta a aprovação de um Plano Diretor para o município que incorpore instrumentos urbanísticos de proteção do patrimônio cultural e também ações de apoio à gestão dos bens culturais protegidos.

Todas essas iniciativas estão em andamento e contam com o apoio do Secretário de Estado da Cultura, Angelo Oswaldo, e de seu colega do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Sávio Souza Cruz. Esse mesmo suporte tem sido dado pela Câmara Municipal de Oliveira, pela Secretaria Municipal de Cultura e o Conselho Municipal de Cultura e Patrimônio. Cabe destacar o trabalho da Secretária de Cultura, Nêm Campos, e dos representantes da comunidade que atuam na área cultural, assim como o das equipes de elaboração de projetos arquitetônicos e de planejamento urbano.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.