quarta-feira, 13 de Julho de 2016 12:36h Agência Minas

Cultura empreendedora e economia criativa são caminhos para diversificação da economia no estado

Ações de fomento às tecnologias de ponta e suporte às startups estão entre apostas do Estado no segmento. Programa da Utramig quer trabalhar o tema com estudantes de escolas públicas

Tecnologia e inovação são segmentos da vez para investimentos, geração de empregos e renda. Em Minas Gerais, o apoio e incentivo à indústria criativa tem espaço nas linhas de ação do Governo do Estado, sobretudo com foco na diversificação da economia e o fomento aos novos negócios.

Os produtos tecnológicos, inclusive, também já marcam presença na balança comercial, avaliados em estudo da Fundação João Pinheiro (FJP) como estratégicos para a ampliação das inovações tecnológicas e da competitividade mineira no mercado internacional.

 

 

As empresas embrionárias (startups), por exemplo, contam com o apoio do maior programa de aceleração de startups de Minas Gerais, o Seed. Com nova sede inaugurada recentemente na capital, no tradicional Espaço CentoeQuatro, o programa leva às startups selecionadas formação empreendedora, mentoria, capital semente (de até R$ 80 mil) e o contato entre equipes numa verdadeira conexão com o ecossistema local. Tudo isto dentro de uma ação macro – o programa Minas Digital – que engloba o Seed e outras iniciativas com o propósito de gerar o desenvolvimento econômico e social a partir da inovação, economia digital e economia criativa.

 

 

“O Governo de Minas Gerais tem sua aposta central em inovação e empreendedorismo para o desenvolvimento do estado, transformando economia criativa e cultura empreendedora em política pública”, destaca o secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Miguel Corrêa. “Acreditamos que uma das formas de crescer é continuar investindo em tecnologia e nos profissionais que querem empreender no estado e, assim, desenvolvemos programas que visam articular o ecossistema mineiro”, complementa.

Hoje, conforme dados da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes), Minas Gerais conta com mais de 400 startups, sendo o segundo estado brasileiro em número de empresas. O estado também abriga o San Pedro Valley, primeira comunidade de startups do Brasil e polo de empreendedorismo, que é referência para negócios de base tecnológica no país. Além disso, mais de 20 incubadoras estão distribuídas em 16 cidades mineiras.

 

 

 

“Investir em economia criativa é acreditar no papel das startups e do ambiente empreendedor do estado para impulsionar o desenvolvimento de tecnologias, novas soluções e oportunidades, gerando crescimento e aquecendo o mercado mineiro. Assim, Minas Gerais vem despontando como polo de inovação e tecnologia no Brasil e nosso objetivo é crescer ainda mais para ser referência na América Latina”, conclui Miguel Corrêa.

 

 

Desenvolvimento Econômico

Os produtos de alta tecnologia estão refletidos na pauta de exportações mineiras e a diversificação da matriz econômica nas estratégias para o desenvolvimento econômico no estado.  Entre outras ações, a Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig) tem trabalhado para fomentar o desenvolvimento de novos negócios.
Com o ‘Programa Codemig de Incentivo à indústria Criativa’, por exemplo, a proposta é, até o fim de 2018, investir mais de R$ 20 milhões em iniciativas que valorizem segmentos, entre elas Novas Mídias e Design.

Por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede), o Governo do Estado também tem definido novas políticas de desenvolvimento. Entre diversas atividades realizadas pela pasta, justamente para a diversificação e retomada do crescimento, estão, por exemplo, projetos de infraestrutura tecnológica, com potencialidades que podem atrair investimentos e permitir avanços.

 

 

 

“A balança comercial de Minas Gerais mostra que o estado tem avançado no comércio de produtos de alta tecnologia e com maior valor agregado, com destaque para os setores biotecnológico, aeroespacial e químico.  O avanço nessas áreas é um diferencial para a economia mineira, pois revela o crescimento da indústria que utiliza cada vez mais pesquisa e desenvolvimento”, aponta o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Fábio Cherem.

De acordo com o secretário, a biotecnologia de Minas Gerais é referência na produção de insulina e de serviços clínicos e laboratoriais que são comercializados no mercado doméstico e internacional. Destaque, ainda, para o agronegócio, que tem utilizado a tecnologia e a inovação para tornar referência mundial o café mineiro e outros produtos agrícolas amplamente exportados para os quatro cantos do planeta.

“No setor aeroespacial, Minas Gerais também tem se sobressaído com o projeto de construção do Polo Mineiro de Inovação e Tecnologia, no qual haverá, inclusive, instalação de uma escola técnica estadual focada na capacitação de mão de obra especializada. Esses e outros pontos mostram o esforço de Minas Gerais no processo de diversificação da economia em segmentos de ponta como a chamada economia criativa e o crescente uso da tecnologia e da inovação”, afirma Cherem.

 

 

 

Empreendedorismo no ensino médio

Uma nova oportunidade, desta vez por meio da Fundação de Educação para o Trabalho de Minas Gerais (Utramig), propõe orientação profissional para o empreendedorismo. Por meio do Pixel - Programa de Qualificação par ao Mercado de Tecnologia, o objetivo é que jovens do ensino médio de escolas públicas de Belo Horizonte possam experimentar cursos gratuitos de curta duração com foco nesse segmento na mesma toada dos bons resultados em tecnologia e inovação.

As oportunidades são nas áreas de Design, Marketing Digital e Programação, com direito a acompanhamento por profissionais de empresas de tecnologia. Além de orientação profissional, os estudantes terão contato com o universo empreendedor, inclusive com conhecimentos e atitudes presentes no universo das startups e os novos mercados em tecnologia.

 

 

 

No momento, é possível realizar a pré-inscrição, por meio do site www.utramig.mg.gov.br/pixel. Embora o cadastro prévio não garanta vagas, já que as oportunidades serão anunciadas em breve, o procedimento permite aos interessados receber em primeira mão a informação sobre a abertura de inscrições.

Outro ponto é a possibilidade de o interessado já opinar sobre os cursos que considera mais interessantes. São eles: Programador de Dispositivos Móveis; Programador de Sistemas; Programador Web; Design Gráfico; Web Design; e Marketing Digital. O sistema abre espaço, ainda, para sugestões, que podem vir a ser oferecidas na próxima abertura de inscrições.

Os cursos, por enquanto, são apenas para Belo Horizonte, ainda sem previsão para o interior do estado. Outras informações podem ser obtidas na página e também pelo telefone (31) 3263-7500.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.