terça-feira, 18 de Outubro de 2016 11:52h Agência Brasil

Empresários da cultura de dez países sul-americanos fazem negócios em Bogotá

A partir de hoje (18), empreendedores culturais de dez países da América do Sul vão trocar informações sobre seus produtos e serviços, na expectativa de formar parcerias para futuros projetos em conjunto

A partir de hoje (18), empreendedores culturais de dez países da América do Sul vão trocar informações sobre seus produtos e serviços, na expectativa de formar parcerias para futuros projetos em conjunto, durante a segunda edição do evento Mercado de Indústrias Culturais do Sul (Micsul), considerado o mais importante encontro regional voltado a mercados culturais e criativos da América do Sul. O evento acontece até a próxima quinta-feira (20), em Bogotá, na Colômbia.

O ministro da Cultura, Marcelo Calero, está na capital colombiana e espera que a participação do Brasil no evento seja surpreendente. “Acho que a gente vai surpreender, como sempre surpreendemos, especialmente no que se refere à nossa capacidade de articulação produtiva. A gente consegue pegar setores diversos – do design ao artesanato e à gastronomia – e transformar isso em produtos, que sejam a um só tempo competitivo e a expressão da nossa identidade nacional”, disse Calero à Agência Brasil.

O Brasil está no evento com 60 empresários de seis setores das indústrias culturais: audiovisual, livro e leitura, música, artes cênicas, videogames e design. Eles foram selecionados por meio de edital elaborado em parceria entre o Ministério da Cultura e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

Em 2018, o Brasil será a sede do Micsul e, para isso, é preciso mostrar um amadurecimento do setor, segundo o ministro. “Como anfitriões, temos a obrigação não apenas de receber bem, mas de mostrar tudo aquilo que fomos capazes de construir nesse segmento, e aí a nossa participação tem que ser retumbante”, diz Calero.

 

Cerimônia de abertura

A cerimônia de abertura do Micsul ocorreu ontem (17) à noite, no Teatro Colón, em Bogotá. O espetáculo contou com shows de música e dança tradicionais da Colômbia, como o grupo musical Cimarrón, que apresentou um número baseado em diferentes aspectos da tradição musical e de dança da Colômbia, incluindo músicas instrumentais, canções tradicionais e sapateado.

Na abertura do evento, a ministra da Cultura da Colômbia, Mariana Garcés Cordoba, destacou que um dos objetivos do Micsul é fazer com que a América do Sul seja uma só em termos culturais. “É importante nos reconhecermos para nos aproximarmos, aprender as nossas diferenças e entender tudo o que podemos fazer se trabalharmos juntos a partir de nossas similaridades”, disse.

Também se apresentaram na abertura do Micsul o Coletivo Danza Región & Cámara de Danza Comunidad, o grupo de dança Sankofa e a Bambarabanda, que levou uma mistura inusitada de musica tradicional com rock.

O Micsul é uma iniciativa dos ministérios da Cultura da Argentina, da Bolívia, do Brasil, do Chile, da Colômbia, do Equador, do Peru, do Paraguai, do Uruguai e da Venezuela, destinado a micro e pequenos empreendedores. No total, cerca de 3 mil pessoas são esperadas no evento.

Além das rodadas de negócios e de estandes institucionais, o evento terá fóruns de discussão, cafés setoriais, desfiles de moda, showcases de música e artes cênicas e sessões de pitching.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.