sexta-feira, 22 de Abril de 2016 12:37h Agência Brasil

Escadaria projetada por Lúcio Costa é novo palco da música instrumental no Rio

Um patrimônio arquitetônico pouco conhecido de moradores do Rio de Janeiro abriga agora uma série de encontros, reunindo grandes nomes da música instrumental brasileira

O local é a Escadaria da Glória, projetada pelo arquiteto Lúcio Costa (1902-1996) e inaugurada em 1965, ano em que a cidade comemorou seu quarto centenário.

Nos jardins da escadaria, que dá acesso à Igreja da Glória, o projeto Conversa de Músicos inaugura um novo palco para a música, sob a curadoria do clarinetista e arranjador Paulo Sérgio Santos e sempre com apresentações gratuitas. O show de abertura da série foi no domingo passado (17), com o tema A Canção e a participação de músicos solistas como Nilze Carvalho, Kiko Horta, André Santos e o próprio Paulo Sérgio. No repertório, obras de Moacir Santos, Tom Jobim e Ivan Lins.

 

 

No próximo domingo (24), às 11h, quem se apresenta no local é o violonista e compositor Guinga, acompanhado do Quinteto Villa-Lobos. O Compositor e suas peculiaridades é o tema do show, com um repertório que passa por obras de Ernesto Nazareth, Pixinguinha e Villa-Lobos, além de canções do próprio Guinga.

Até 8 de maio, serão mais dois encontros musicais, sempre às 11h de domingo. O Inusitado (dia 1º) reunirá Caio Marcio Santos (violão), Hugo Pilger (violoncelo), Paulo Sergio Santos (clarinete), Ricardo Amado (violino), Eliezer Rodrigues (tuba), Naylson Simões (trompete) e Philip Doyle (trompa), interpretando um repertório variado, de compositores como Severino Araújo, Hermeto Pascoal, Edu Lobo, Chico Buarque, Pixinguinha e Astor Piazzolla.

 

 

 

Em seu último show, o projeto Conversa de Músicos  homenageia o centenário de nascimento de Abel Ferreira (1915-1980), comemorado no ano passado. Zé da Velha, no trombone, Silvério Pontes, no trompete, Joel Nascimento, no bandolim, e Paulo Sérgio Santos, no clarinete, serão os destaques desse tributo ao músico autodidata, considerado um dos maiores clarinetistas brasileiros.

Idealizadora do projeto, a produtora cultural Ana Luísa Lima conta que Conversa de Músicos surgiu quando ela descobriu a escadaria, juntamente com um amigo arquiteto, Alfredo Brito. “O local não se resume às escadas e rampas, mas tem vários recantos, alguns muito espaçosos. Daí escolhermos o local para realizar os shows”, diz Ana Luísa, lembrando que até agora ninguém havia pensado em utilizar o espaço para fins culturais.

 

 

 

Embora o resgate cultural da Escadaria da Glória seja a pedra de toque do projeto, o Conversa de Músicos também leva os encontros musicais a outras áreas da cidade. “Ao inscrevermos o projeto no edital Viva Arte, da Secretaria Municipal de Cultura, tivemos a oportunidade de acrescentar outros locais à proposta, as Arenas Cariocas Chacrinha e Dicró e a Areninha Hermeto Pascoal”, conta Ana Luísa.

A primeira apresentação nesses espaços da zona oeste da cidade ocorreu nesse feriado de Tiradentes na Areninha Hermeto Pascoal, em Bangu. O mesmo show, de Guinga e o Quinteto Villa-Lobos, será apresentado domingo (24) na Glória. Hoje, será a vez da Arena Chacrinha, em Guaratiba, receber o show A Canção, que marcou a abertura do projeto.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.