sexta-feira, 4 de Março de 2016 13:03h Agência Minas

Espetáculo 'Alguém' inicia a temporada dos vencedores do Prêmio Fundação Clóvis Salgado de Estímulo às Artes Cênicas

O Grupo Pigmalião Escultura Que Mexe investiga a dramaturgia visual para criar espetáculos para o público adulto, abordando questões filosóficas e existenciais

O mundo dos humanos se vê ameaçado por uma enorme infestação de estranhos ratos. O que os humanos não sabem é que, por trás da aparente fragilidade e submissão dessas criaturas, se esconde uma estrutura organizada, inteligente e obstinada. Por outro lado, o que os ratos não sabem é que, sob suas máscaras sociais, os humanos também têm seus segredos. Esse é o enredo de 'Alguém', espetáculo que abre a temporada de exibição dos vencedores do Prêmio Fundação Clóvis Salgado de Estímulo às Artes Cênicas. A obra, premiada na categoria Montagem de Teatro, entra em cartaz, de 11 de março a 10 de abril, no Teatro João Ceschiatti, em Belo Horizonte.

 

 

Escrito por Conceição Rosière e Eduardo Felix, o espetáculo busca criar uma alegoria das estruturas sociais e as hierarquias de poder. Uma fábula contemporânea sem palavras, contada com máscaras, marionetes de fios e atores. A equipe, que participa da construção dos bonecos e também atua e manipula os personagens no espetáculo, é composta por Aurora Majnoni, Igor Godinho, Mariliz Schirickte, Mauro de Carvalho, Cora Rufino e Mariana Teixeira.

 

 

O Grupo Pigmalião Escultura Que Mexe investiga a dramaturgia visual para criar espetáculos para o público adulto, abordando questões filosóficas e existenciais. O grupo vem circulando por diversos países se apresentando e ministrando oficinas. Nos meses de maio e junho fará turnê pela Europa, onde participará de importantes festivais internacionais.

 

 

 

Premiação

Na última edição, o edital previu a distribuição de R$ 350 mil em prêmios para os projetos inscritos nas categorias Montagem (categorias Dança e Teatro), Circulação do Interior (categorias Dança e Teatro) e Montagem Marcello Castilho Avellar (espetáculo de Dança ou Teatro). A premiação também garante apoio em Assessoria de Imprensa, Mídias Digitais, impressão de programas e cartazes. Os projetos inscritos foram avaliados por uma comissão composta por profissionais das artes cênicas da Fundação Clóvis Salgado e da sociedade civil.

 

 

O Prêmio Fundação Clóvis Salgado de Estímulo às Artes tem como objetivo o fomento ao teatro e à dança, buscando incentivar a criação, a montagem e a circulação de espetáculos. Importantes textos premiados obtiveram sucesso de público e crítica como Bolsa Amarela, da Zero Cia de Bonecos; Todas as Belezas do Mundo, da Companhia Clara; Amores Surdos, do grupo Espanca! e Isso é Para Dor, da Primeira Campainha, entre outros.

 

 

Em 2015, a Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag), a Secretaria de Estado de Cultura (SEC) e a Fundação Clóvis Salgado conseguiram reverter a delicada situação em que se encontrava o Prêmio Fundação Clóvis Salgado de Estímulo às Artes Cênicas. Sensibilizado com o problema, o Governo do Estado priorizou o pagamento de R$ 350 mil para cobrir as despesas previstas para as montagens. O secretário de Cultura, Angelo Oswaldo, disse que esses recursos, que deveriam ter sido pagos ou liberados ainda em 2014, traduzem o esforço do Governo Fernando Pimentel no sentido de reconhecer e enfatizar a importância da produção cultural na vida de Minas Gerais.

 

 


Serviço:

ALGUÉM – Espetáculo da Pigmalião Escultura Que Mexe

Local: Teatro João Ceschiatti - av. Afonso Pena, 1537 – Centro - Belo Horizonte
Período: 11 de março a 10 de abril, sem apresentação durante a Semana Santa
Horário: Sextas e sábados às 20h30, domingo às 19h
Preço: R$ 20 (inteira) e R$10 (meia)
Classificação indicativa: 16 anos
Informações para o público: (31) 3236-7400.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.