terça-feira, 4 de Outubro de 2016 14:30h PMD

Espetáculos no Gravatá recebem 384 mil pessoas

Incentivo com isenção de aluguel com espetáculos gratuitos tiveram papel fundamental para atingir o público

O Teatro Municipal Usina Gravatá registrou o comparecimento de 384 mil pessoas nos últimos 93 meses. A proposta da Prefeitura de Divinópolis determina que 30% dos espetáculos têm isenção de aluguel oferecendo apresentações de qualidades gratuitas.

De acordo com a gerência do Teatro Municipal Usina Gravatá, nos últimos 93 meses, foram realizados 1.920 espetáculos, com média de 200 pessoas por apresentação. Neste período, foram 384 mil pessoas desde 2009.

A gerência confirmou a isenção de aluguel de 30% para os empreendedores culturais. “Os projeto com isenção de aluguel são os aprovados em leis de incentivo, eventos gratuitos e beneficentes”, explicou a gerente do Teatro Municipal Usina Gravatá, Samira Cunha.

Neste mês, por exemplo, tem 23 espetáculos na agenda até 29 de outubro. A agenda completa pode ser conferida no site Prefeitura de Divinópolis.

Inaugurado em 29 de junho de 2007, o Gravatá, além de ser um bem tombado pelo patrimônio artístico e cultural é também o mais importante espaço produção cultural de Divinópolis. “A missão do Teatro Usina Gravatá está sendo cumprida: é levar cultura de qualidade para a população, seja através de eventos gratuitos ou a preços populares”, destacou Samira Cunha.

Teatro

O prédio do Teatro Usina Gravata abrigava a antiga Usina Gravatá, primeira de álcool-motor de mandioca do Estado de Minas Gerais. Para ser adaptado, foram instalados equipamentos cênicos, que propiciaram a criação de um espaço cultural para receber espetáculos de música, teatro e dança. O projeto arquitetônico restaurou e preservou as características originais do edifício, adaptando seu interior para o recebimento da estrutura cênica.

O Teatro Municipal foi uma iniciativa da Prefeitura de Divinópolis e da Sociedade dos Amigos da Biblioteca Pública Municipal Ataliba Lago, com patrocínio da Usiminas. A siderúrgica mineira investiu, através da Lei Federal e Estadual de Incentivo à Cultura, R$ 2 milhões para a recuperação do imóvel e montagem do teatro.

Criada em 1931, a Usina Gravatá percorreu um longo caminho até se transformar em teatro municipal. Durante a Segunda Guerra Mundial, com a interrupção do fornecimento de gasolina para o Brasil, foi responsável pelo abastecimento de Divinópolis e região, produzindo milhões de litros de álcool-motor. Nos anos 60, foi depósito agrícola. Em 1988, começou-se a vislumbrar a possibilidade de transformar o espaço da usina em área de convívio e produção cultural.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.