terça-feira, 10 de Maio de 2016 13:17h Agência Minas

Festas típicas preservam a tradição e movimentam as cidades mineiras

Na programação, destaque para quadrilhas, festivais de música, festas religiosas e encontros literários em homenagem aos 60 anos de 'Grande Sertão: Veredas', obra de Guimarães Rosa

As festas tradicionais e os festivais movimentam grandes e pequenas cidades de Minas Gerais, despertando talentos e preservando a história das comunidades. A programação para os próximos meses é intensa. Em muitas localidades, os recursos do Fundo Estadual de Cultura (FEC) têm chegado em boa hora como apoio financeiro e impulso aos grupos culturais e realizadores de shows e espetáculos.

Os produtores culturais e artistas dos vales do Mucuri, Jequitinhonha e Rio Doce, por exemplo, se preparam para um dos maiores festivais de teatro, dança, música e literatura da região. É a quinta edição do Festival Nacional de Teatro de Teófilo Otoni (Festto) que começa no dia 26 de maio e vai até o dia 4 de junho.

 

 

 

O festival, que recebeu recursos do FEC pela primeira vez, tem uma agenda recheada de espetáculos de grupos de Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia e até de Buenos Aires, na Argentina. A arte regional terá destaque com a produção de teatro e dança das cidades de Teófilo Otoni, Ipatinga, Teófilo Otoni, Sete Lagoas e Belo Horizonte.

Os espetáculos são dirigidos aos públicos adulto, jovem e infantil. Algumas apresentações serão em praça pública, como a produção “História de Criança” do grupo Fio Cena Investigação Teatral, de Teófilo Otoni. Os atores constroem um dia na vida de três crianças, através da musicalidade e das brinca­deiras do imaginário infantil.

 

 

 

Nomes importantes da música popular brasileira marcarão presença, como a cantora e compositora nordestina, Socorro Lira, que apresentará canções gravadas em seus dez álbuns já lançados. Também consta da programação, rodas de conversa e oficinas de teatro e dança com especialistas como o bailarino e dramaturgo Nicolás Vidal, brasileiro que vive hoje em Buenos Aires.

Segundo o diretor executivo do Instituto Cultural In-Cena, André Luiz Dias, organizador do festival, o Festto hoje é um propagador e formador de atores, dançarinos, e uma forma de as pessoas do interior do estado terem acesso ao universo artístico, principalmente os jovens. Como nos anos anteriores, André Luiz tem grande expectativa de público. Cerca de 300 pessoas nos espetáculos de palco e em torno de 800 nos de rua.

Toda a programação do Festto tem entrada gratuita, com apresentações em Teófilo Otoni e nas cidades de Pavão e Novo Cruzeiro.

 

 

 

Quadrilhas

O tradicional período das quadrilhas se aproxima e, em pequenos municípios, é um acontecimento que mobiliza a população. Algumas cidades já começaram os preparativos. É o caso de Canaã, cidade de cerca de 5 mil habitantes, na Zona da Mata.

O Circuito de Quadrilhas de Canaã vai ser realizado de quatro de junho à 16 de julho, envolvendo a comunidade urbana e rural do município e de outras cidades do Circuito Serras de Minas. Na programação estão previstas danças de quadrilhas para jovens, terceira idade e crianças.

 

 

 

Os shows culturais vão animar a festa regada à comidas típicas que serão vendidas nas barraquinhas. A expectativa do secretário Municipal de Cultura, Turismo, Lazer e Esportes, Josimar Ancelmo Teixeira, é envolver a comunidade do Circuito Serras de Minas nas festas juninas e julhinas. “O evento é importante porque vai valorizar a arte das danças de quadrilhas e a cultura de cada localidade, além de permitir o intercâmbio entre os municípios”, afirma Josimar Teixeira.

O Circuito de Quadrilha, que   também recebe o apoio do Fundo Estadual de Cultura, inclui no roteiro, apresentações em Canaã e nas zonas rurais de Ponte do Rio, São Luiz, Prainha (Cachoeira Grande).

 

 

 

Literatura

O município de Morro da Garça, na região Central de Minas, também se prepara para o tradicional “Encontro de Arte e Cultura ao Pé da Pirâmide do Sertão”. O encontro está na 23ª edição e vai ser realizado em outubro, encerrando as comemorações dos 60 anos de Grande Sertão: Veredas, de João Guimarães Rosa.

O encontro nasceu inspirado na literatura Roseana, com o objetivo de divulgar as obras de Guimarães Rosa e acolher visitantes que desejam conhecerem o Morro da Garça. A cidade é cenário do conto “O Recado do Morro”, que está no livro Corpo de Baile.

 

 

 

Na programação do 23º encontro estão previstas oficinas de bordado e narração, caminhada literária, exposição de artesanato e contação de estórias, com a participação dos grupos Miguilin de Codisburgo, Andrequicé e Três Marias. A Secretaria de Estado de Cultura (SEC) preparou, ainda, um cronograma com outras opções para turistas e mineiros:

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.