sexta-feira, 19 de Fevereiro de 2016 12:09h Agência Minas

Fundação Clóvis Salgado oferece programação cultural gratuita em Belo Horizonte

Exibições de cinema e concertos ao meio-dia estão entre as opções preparadas para o público neste mês de fevereiro

Neste mês de fevereiro, a Fundação Clóvis Salgado (FCS) está com intensa programação cultural gratuita para os apreciadores de cinema e música erudita. Confira algumas das opções:

 

 

 

Música

O Palácio das Artes está de portas abertas para receber o público, especialmente para as apresentações da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais (OSMG). Nos dias 23 e 24 de fevereiro (quarta e quinta-feira), ao meio-dia, os visitantes vão poder conferir obras clássicas de Mozart e Berlioz, sob a regência do maestro assistente Sérgio Gomes.

Os concertos são uma prévia das apresentações que a OSMG fará no 5º Festival de Música de Trancoso, um dos mais importantes festivais do Brasil, que acontece, de 5 a 12 de março, em Trancoso, na Bahia.

“A nossa intenção é a formação de público e, sobretudo, receber pessoas de todas as idades. É importante que a cultura erudita esteja acessível às pessoas. Uma das apresentações da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais ao meio-dia, numa terça-feira, já obteve público de mil pessoas,” diz o presidente da Fundação Clóvis Salgado, Augusto Nunes-Filho.

O Palácio das Artes está localizado na Avenida Afonso Pena, 1.537, Centro.

 

 

 

Religiosidade

O período da Quaresma, marcante para os católicos, motivou a programação de concertos do Coral Lírico de Minas Gerais. Estão previstas três apresentações, com obras de compositores como Lindembergue Cardoso, Henrik Górecky, Felix Mendelssohn e Giuseppe Verdi. Além disso, o repertório também inclui obras inéditas e trechos que serão interpretados pelo coral ao longo do ano, como as composições de Charles Gounod e Carlos Gomes, das óperas Romeu e Julieta e O Guarani.

 

 

Cinema

O Cine Humberto Mauro recebe, de 23 de fevereiro a 5 de março, a mostra “F.W. Murnau: Sombras e Poesia”, focada no trabalho do cineasta Friendrich Wilhelm Murnau, um dos principais nomes do Expressionismo Alemão.

A mostra, composta por 12 filmes realizados entre 1919 e 1931, leva ao público as obras em formato digital. As obras do cineasta alemão retratam os principais questionamentos e grandes críticas à sociedade alemã da época, que vivia em pleno modernismo, ainda se recuperando da Primeira Guerra Mundial.

Para Bruno Hilário, um dos curadores e coordenador do Cine Humberto Mauro, trata-se de uma seleção robusta, que reúne obras importantes e de difícil acesso. “Apesar de não conter todos os filmes do diretor, até porque alguns se perderam, consideramos este um recorte importante, com destaques para os clássicos; Nosferatu e Aurora,” ressalta.

Nosferatu, inclusive, representou todo o cenário alemão pós-guerra, e o sentimento de medo e vergonha que pairava pelo país.  Além deste, o longa, Aurora, ganhou na primeira edição do Oscar, o prêmio de Melhor Filme e Figura.

Serão três sessões da mostra por dia, mas os horários não são fixos. A programação completa está disponível em www.fcs.mg.gov.br. A entrada é gratuita e a retirada de ingressos deve ser feita 30 minutos antes de cada sessão.

O Cine Humberto Mauro está localizado na Avenida Afonso Pena, 1.537, Centro. Outras informações pelo telefone (31) 3236-7400.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.