segunda-feira, 25 de Abril de 2016 13:27h Agência Brasil

Mostra inédita em SP apresenta filmes do cineasta iraniano Abbas Kiarostami

O cineasta iraniano Abbas Kiarostami é homenageado com uma retrospectiva inédita de suas obras, em São Paulo, no Centro Cultural Banco do Brasil

A mostra Um Filme, Cem Histórias: Abbas Kiarostami ocorre em um momento difícil para o diretor, que enfrentou uma cirurgia para tratamento de um câncer e está sob cuidados médicos. Até 9 de maio, estarão à disposição do público desde filmes mais conhecidos até raridades, como destacou o curador da mostra, Fábio Savino.

Entre os 28 filmes em exibição, há raridades como O Pão e o Beco, de 1970, e A Experiência, de 1973, ambos gravados em 35 milímetros. “Uma coisa importante é ver os filmes nas bitolas originais. Muitos filmes são apresentados em 35 milímetros, que hoje é uma raridade”, explicou o curador.

 

 

 

Segundo Savino, as pessoas poderão assistir a todas as fases da produção do cineasta iraniano. “Outra coisa importante é conseguir ver o conjunto da obra, porque uma coisa é você ver um filme isoladamente, outra é você conseguir acompanhar e ter um panorama mais abrangente”. O curador acredita que, dessa forma, o público conseguirá traçar o perfil e observar a estética do cineasta.

O curador da mostra lamentou o estado de saúde de Kiarostami e disse que está em contato com a assessora pessoal do cineasta. Para Savino, a realização da mostra é uma mistura de sentimentos. “É um momento feliz e triste, para mim, ao mesmo tempo. É um momento em que estou muito feliz de conseguir fazer esse projeto depois de quase dez anos de pesquisa e trabalho, mas muito triste de fazer neste momento em que ele está tão mal.”

 

 

 

Palma de Ouro

Ele destacou também a capacidade de reinvenção do cineasta. Com Gosto de Cereja, de 1997, ele ganhou a Palma de Ouro em Cannes e, logo depois, já iniciou em um novo caminho, fazendo filmes com câmera digital amadora. “É um estudo do formato, dessa nova mídia que estava crescendo nos anos 2000”, acrescentou Savino.

“Depois, quando ele sai do Irã, vai fazer dois filmes – Cópia Fiel e Um Alguém Apaixonado – e se reinventa mais uma vez como um diretor, filmando fora, na Itália e depois no Japão”. De acordo com o curador, Kiarostami não tinha uma única fórmula de fazer filme, ele não reproduziu um modelo igual seus filmes. “Ele realmente está sempre estudando, trabalhando, pesquisando e inventando novas maneiras de fazer cinema”, acrescentou.

Os filmes da mostra estão em exibição no Centro Cultural Banco do Brasil, localizado na rua Álvares Penteado, centro da capital paulista, até 9 de maio. Os ingressos custam R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia-entrada).

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.