quinta-feira, 12 de Maio de 2016 13:37h Secretária de Cultura de Minas Gerias

Museu de Congonhas recebe palestra do Secretário Angelo Oswaldo no Dia Internacional dos Museus

Além de oferecer programação especial na Semana Nacional de Museus, ainda neste mês, a instituição assina um termo de parceria com a Fundação Clóvis Salgado e sedia a transmissão ao vivo do programa “Bazar Maravilha”, da Rádio Inconfidência

A programação cultural será intensa na cidade de Congonhas durante o mês de maio. O recém-inaugurado Museu de Congonhas é um dos destaques da 14ª Semana Nacional de Museus e, a partir do dia 16, oferecerá uma diversificada programação aos seus visitantes, com visitas guiadas, palestras e cursos, shows, espetáculos teatrais e lançamentos literários. Toda a programação é gratuita.

Dia 18, quando se celebra o Dia Internacional dos Museus, a agenda será especial. Às 10h, haverá a palestra “Aleijadinho – Vida e Obra”, ministrada pelo Secretário de Estado de Cultura, Angelo Oswaldo, sobre a vida e obra do expoente barroco. “A participação do Secretário contribui, de sobremaneira, para ampliar as reflexões propostas, neste ano, em que todos os museus nacionais discutem a interferência positiva nas cidades e nas paisagens culturais”, afirma Sérgio Rodrigo Reis, diretor do Museu de Congonhas.

 

 

 

A abertura da Semana de Museus acontece com um feito inédito. Pela primeira vez a Fundação Clóvis Salgado realiza uma parceria com esta cidade história para promoção e intercâmbio de ações culturais a serem realizadas no Museu de Congonhas. A assinatura do termo de parceria, dia 16, às 15h, em Belo Horizonte marca o diálogo entre as duas instituições e prenuncia a abertura de uma exposição de arte mineira no Museu ainda em junho.

As ações continuam nos dias seguintes à Semana Nacional de Museus. No dia 25, às 14h, o apresentador Tutti Maravilha fará ao vivo do Museu de Congonhas a transmissão do programa “Bazar Maravilha”, da Rádio Inconfidência.  Um pouco mais tarde, às 20h, o projeto Roteiro das Minas receberá o poeta e músico Arnaldo Antunes e a multiartista Beatriz Avezedo. Os dois farão um espetáculo exclusivo no anfiteatro do Museu.

 

 

 

 

PROGRAMAÇÃO ESPECIAL

A professora e historiadora Myriam Andrade Ribeiro de Oliveira é um dos destaques da agenda na Semana Nacional de Museus. Um dos principais nomes da pesquisa artística e histórica sobre o tema no Brasil, ela assinará, dia 17, um termo de doação de seu acervo para a Biblioteca do Museu. Livros de arte e história da pesquisadora, integrarão permanentemente este espaço, com previsão de início de funcionamento ainda no primeiro semestre de 2016.  A programação conta ainda com o pesquisador Fábio França apresentando ao público, no dia 19, seu novo livro: “Arte e Paixão – Congonhas de Aleijadinho”.

Promovida pelo Ibram (Instituto Brasileiro de Museus), a 14ª Semana Nacional de Museus terá como tema este ano “Museus e Paisagens Culturais”. O evento, o maior do gênero no país, conta com a participação de 1.236 museus de todo o país, que oferecerão ao público 3.700 atividades especiais, como visitas mediadas, palestras, oficinas e exibição de filmes. Em Congonhas foi montada uma agenda especial inspirada no tema. As atividades dos museus do município são pensadas para dialogar com a paisagem no entorno por meio de interface com as tradições culturais materiais e imateriais e o patrimônio histórico.

 

 

 

 

SOBRE O MUSEU DE CONGONHAS

Inaugurado em dezembro de 2015, o Museu de Congonhas está instalado em um edifício de 3.452,30 m², construído ao lado do Santuário do Bom Jesus de Matosinhos, a partir de um projeto do arquiteto Gustavo Penna. O prédio contempla em três pavimentos sala de exposições, reserva técnica, biblioteca, auditório, ateliê, espaço educativo, cafeteria, anfiteatro ao ar livre e áreas administrativas.

O Santuário do Bom Jesus de Matosinhos, para onde o Museu dedica sua principal atenção, está localizado no Morro Maranhão, na zona urbana de Congonhas. Sua construção teve início em 1757 e se estendeu até o começo do século XIX. Trata-se de um conjunto arquitetônico e paisagístico formado pela Basílica, escadaria em terraços decorada por esculturas dos 12 profetas em pedra-sabão e seis capelas com cenas da Via Sacra, contendo 64 esculturas em cedro em tamanho natural. No conjunto, trabalharam os artistas de maior destaque do período, como o escultor Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho (1738-1814), e o pintor Manoel da Costa Athaíde (1760-1830).

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.