quarta-feira, 18 de Maio de 2016 13:22h Agência Minas

Museu Peter Lund tem programação especial na 14ª Semana Nacional de Museus

Algumas das atividades que estão programadas foram pensadas exclusivamente para o período

O Museu Peter Lund, que fica localizado dentro do Parque Estadual do Sumidouro (PESU), está participando da 14ª Semana Nacional de Museus, que acontece até o dia 22 de maio. Várias atividades foram programadas para acontecer durante o período. A semana é uma temporada cultural, que ocorre todos os anos, e é promovida pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), em comemoração ao Dia Internacional dos Museus, comemorado nesta quarta-feira (18/5).

Segundo a coordenadora de Uso Público do PESU, Jordania Mariano, o Museu Peter Lund participa da Semana Nacional Museus desde 2014, e a iniciativa partiu da própria instituição. “Todos os anos o Museu Peter Lund se inscreve no Ibram para participar da programação”, conclui.

 

 

 

A coordenadora contou, ainda, que algumas das atividades que estão programadas para a semana já fazem parte da programação habitual do museu, mas outras foram pensadas exclusivamente para o período.

“Escolhemos para este ano uma exposição fotográfica sobre os sítios arqueológicos da região do Carste de Lagoa Santa e da Serra do Cipó e a sessão comentada e exibição do filme “O que as pedras contam...Astronomia na arte rupestre da Serra do Cipó”, ambos de autoria do pesquisador Gustavo Vila”, destaca.

 

 

 

Cada ano é escolhido um tema diferente para a semana. O deste ano foi “Museus e Paisagens Culturais” e tem como objetivo reforçar a influência das cidades nas representações artísticas. A escolha do tema foi feita pelo Conselho Internacional de Museus (Icom) e será o tema também da 24ª Conferência geral deste conselho, que acontecerá em Milão, em julho.

Durante a semana, cerca de 3,7 mil atividades serão desenvolvidas, simultaneamente, em mais de 1,2 mil museus de todo o país.

 

 

 

O museu

O Museu Peter Lund foi inaugurado no dia 21 de setembro de 2012 e possui área de exposição com cerca de 80 fósseis vindos do Museu Natural de Copenhagen cedidos a Minas pelo Governo da Dinamarca. Trata-se de um conjunto de fósseis como pedaços de ossos de dedos, patas, dentes e costelas de animais como anta, preguiça, tamanduá, raposa, tigre-dente-de-sabre, tatu gigante, entre outras espécies que viveram na região há cerca de 10 mil anos. Entre eles, estão 30 ossos de homens pré-históricos encontrados por Lund em Lagoa Santa, considerados os primeiros fósseis encontrados nas Américas.

O prédio, que abriga a sede do Museu Peter Lund, possui 1.850 mil metros quadrados e é um espaço destinado à conscientização da importância histórica e cultural do carste de Lagoa Santa. O local dispõe de duas salas para que o visitante tenha conhecimento dos planos de manejo do parque e espeleológico, além de salas multiuso e de exposição, sendo uma delas dedicada ao acervo vindo da Dinamarca, espaço para reserva técnica, conservação e restauro de obras, café e loja.

 

 

 

A história de Peter Lund

Peter Wilhelm Lund nasceu em Copenhagen (Dinamarca) em 1801. Diplomado pela Universidade de Copenhagem, visitou o Brasil pela primeira vez em 1825. No Rio de Janeiro, realizou um levantamento de toda a vegetação da baixada fluminense e estudos sobre o comportamento de formigas, além de montar várias coleções zoológicas.

Em 1833, retornou, em caráter definitivo, ao Brasil e iniciou uma viagem para estudar a flora brasileira em companhia do botânico L. Riedel, quando fixou residência em Lagoa Santa. As primeiras grutas visitadas foram a Lapa Vermelha e a Lapa Nova de Maquiné, tendo descrito com minúcias, os espeleotemas encontrados. Lund pesquisou mais de uma centena de grutas, onde encontrou em torno de 120 espécies de fósseis e 94 espécies pertencentes à fauna atual.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.