terça-feira, 26 de Abril de 2016 12:57h Atualizado em 26 de Abril de 2016 às 12:59h.

Orquestra da UFSJ no Teatro Municipal

Na quarta-feira, 4 de maio, a comunidade são-joanense poderá conhecer mais um pouco do trabalho de excelência produzido pelos cursos da Universidade Federal de São João del-Rei

É dia de apresentação da Orquestra Sinfônica do Curso de Música da UFSJ no Teatro Municipal de São João del-Rei, às 20h, com regência do professor Modesto Flávio Fonseca. A entrada é franca.

A Orquestra Sinfônica do Departamento de Música (Dmusi) é formada a partir da disciplina Prática de Orquestra, ofertada aos alunos do curso de graduação. Reúne instrumentos de cordas, madeiras, metais e percussão. Os ensaios acontecem uma vez por semana, percorrendo amplo e variado repertório. É dirigida por Modesto e pelas professoras Mariana Jelen e Gina Reinert, com a participação de outros profissionais do próprio Departamento e da comunidade externa.

 

 



Para Modesto, a existência de uma orquestra sinfônica na Universidade significa “a realização de uma política de valorização a este segmento artístico, ao mesmo tempo ofertando à comunidade do entorno a oportunidade de inclusão cultural”. Ainda, ela pode realizar o papel de representação da Universidade, uma espécie de "cartão de apresentação".

Os exercícios musicais aplicados didaticamente proporcionam ao aluno uma experiência mais próxima à de um conjunto instrumental profissional. Dentro de seu papel pedagógico, a Orquestra também faz parcerias com diferentes classes do curso de Música, como a de canto, do clássico ao popular. A Orquestra atua em apresentações públicas em teatros, igrejas e auditórios em São João del-Rei e na região, de forma a atender as solicitações da Reitoria da UFSJ e do próprio Departamento, e ultrapassar os espaços dos próprios campi, chegando com mais vigor às comunidades.

 

 



Dever cumprido

O clarinetista Wanderlei Geraldo é aluno do professor Iura de Rezende no curso, e desde o segundo período é membro da Orquestra. “A prática é bacana, pois aprendemos a nos comportar e a lidar com diversas situações dentro de uma orquestra”, conta. Ele comenta ainda que, antes da Universidade, nunca havia participado de uma orquestra, e que essa experiência o trouxe momentos valiosos na sua formação.

O palco dos teatros costumam proporcionar aquele “frio na barriga” dos artistas em geral, inclusive dos músicos. Mas, para Wanderlei, o que fica após cada apresentação é outro sentimento: “uma sensação de dever cumprido”, arremata.

 

 



Programa

WAGNER, Richard – Marcha dos Mestres Cantores (arr. Richard Meyer)

PURCELL, Henry – Rondó

MANGANI, Michele – Página d`album
Clarineta solo: Wanderlei Geraldo Silva

FERN NDEZ, Oscar Lorenzo – Batuque: Danza di negri

DVORAK, Antonin – Sinfonia “Novo Mundo” – IV mov. Allegro con fuoco

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.