terça-feira, 19 de Abril de 2016 13:44h ALMG

Rádio Inconfidência é homenageada por seus 80 anos

Apresentações artísticas marcam solenidade realizada no Plenário da Assembleia, na última segunda-feira (18)

O Plenário da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) foi palco, na noite da última segunda-feira (18/4/16), de uma homenagem marcada por apresentações artísticas e muitas referências à história e a cultura do Estado. Em Reunião Especial, a Rádio Inconfidência foi reverenciada como patrimônio estadual, ao completar 80 anos de fundação. "Seu trabalho engrandece o nome do Estado, dentro e fora do País", dizia a placa entregue ao presidente da emissora, Flávio Henrique Alves de Oliveira.

Em seu discurso, o deputado Celinho do Sinttrocel (PCdoB), autor do requerimento que deu origem à homenagem, fez questão de destacar o papel da comunicação na era moderna e a importância da Rádio Inconfidência, cuja história se confunde com o próprio desenvolvimento das transmissões radiofônicas no Brasil. "Pouco mais de um ano após sua fundação, em 1938, a Inconfidência foi a primeira emissora brasileira a transmitir, de outro país, a Copa do Mundo da França!". Na opinião do parlamentar, as radionovelas, as orquestras, os programas de auditório e os shows da Rádio marcaram a vida de Belo Horizonte e dos mineiros.

 

 

O deputado Durval Ângelo (PT) foi quem representou o presidente da Assembleia, deputado Adalclever Lopes (PMDB), na reunião. Durval Ângelo agradeceu aos artistas presentes e destacou o trabalho do presidente e dos funcionários da emissora. "Reconhecemos o esforço brilhante de cada funcionário, para levar ao ar uma programaçao comprometida com o bom gosto e os interesses de seu público", disse.

Segundo o presidente da Rádio Inconfidência, Flávio Henrique Alves de Oliveira, a rádio tem vivido momentos de renovação. "Estamos nos preparando para a mudança de sede, adquirindo equipamentos de ponta de radiodifusão e fazendo convênios para seguirmos firmes na vocação cultural da rádio", afirmou.

 

 

Entre as apresentações artísticas, a solenidade teve o hino nacional executado pelo músico Pereira da Viola e os representantes do movimento Clube da Esquina Marilton Borges, Telo Borges e Rodrigo Borges. Eles cantaram a música Travessia, de Milton Nascimento e Fernando Brant, e também Tristesse, de Telo e Milton.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.