quinta-feira, 17 de Março de 2016 13:55h Agência Minas

Uma jovem senhora: em 2016 a Rádio Inconfidência completará 80 anos

No dia 3 de setembro de 1936, Belo Horizonte ganhava um dos mais importantes canais de comunicação do estado

A Rádio Inconfidência, emissora de rádio pública do estado de Minas Gerais, uma das mais importantes e tradicionais rádios do Brasil, completa 80 anos em setembro, mas as comemorações já começaram em 2016. Nessa terça-feira (15/3), a Câmara Municipal de Belo Horizonte deu início à celebração pelas oito décadas de existência com homenagem à Inconfidência AM 880 e ao presidente recém nomeado, o músico mineiro Flávio Henrique Alves de Oliveira.

“A emissora está vivendo um momento em que se fez justa esta homenagem à Rádio Inconfidência, porque é difícil uma empresa de comunicação estar atuando há tanto tempo. Atualmente, a rádio se faz muito importante porque ela é um oásis no meio das outras rádios em termos de programação musical, pois transmite a arte mineira, com programação voltada para a literatura, o cinema, o teatro”, ilustra.

 

 

Músico de longa data, Flávio Henrique é compositor, produtor e instrumentista, com mais de 120 músicas gravadas. Segundo ele, a principal missão da nova gestão é a de recuperar a vocação cultural e musical da rádio que, recentemente, estava sendo atropelada por programas de outros perfis, como os de cunho esportivo e informativo. Ainda de acordo com o presidente, a nova gestão da emissora tem buscando o equilíbrio entre a música consagrada e a cena local, tendo em vista que a Rádio tem público e audiência consolidados e se tornou, nas palavras dele, um respiro na cena cultural.

“Como uma rádio pública, ela tem a função de abrir espaço para divulgar a produção local, que cresce com as novas manifestações culturais de BH. Os meios de comunicação pública devem suprir o que os comerciais não fazem. Nessa minha gestão, quero trabalhar com o foco na vocação pública, e não inspirado em nenhum modelo comercial, além de potencializar mais essa vocação voltada para a cultura. O diretor artístico, Elias Santos, também está atuando na consolidação deste objetivo direcionamento cultural, a nova programação toda elaborada por mim e por ele”, afirma.

 

 

Por todo o estado

A versão AM 880 está presente em todos os municípios e, também como parte das comemorações dos 80 anos, a Rádio Inconfidência FM 100.9 – Brasileiríssima de Belo Horizonte tem nova programação saindo das ondas do rádio. Ao todo, são mais de 15 programas que entraram na grade, lançados em fevereiro, com o pontapé inicial no novo programa 'Casa Aberta', que vai ao ar, das 10h às 12h, sob o comando de Elias Santos e Brisa Marques. As novidades englobam música, entrevistas, programas especiais e um serviço de informação. Clique aqui para ver a programação completa, diária e semanal.

Para destacar as principais notícias de Minas Gerais, do Brasil e do mundo, serão cinco programas diários relacionados ao universo cultural, sendo um jornal e dois boletins. Além disso, reforçam a programação mais três programas dedicados aos cantautores (artistas musicais que escrevem, compõem e cantam seu próprio material, incluindo letra e melodia), à literatura e ao esporte, e outros seis programas musicais semanais.

 

 

Dentre os conteúdos de destaque na programação, estão o novo programa Casa Aberta, abordando os direitos LGBTs, temas sobre política, economia, além de educação e cidadania. O locutor de voz suave, Elias Santos, traz uma programação com visão mais ampla sobre questões importantes e atuais e está se tronando um foco de informação, mostrando sempre os dois lados das situações, levando as pessoas a uma reflexão, é uma "gaveta" na qual cabem muitas coisas, por ter uma abrangência informativa.

Já o programa 'A noite ai ser boa’, com apresentação de Duda Ramos, entre 20h e 22h, além de trazer uma apresentação ao vivo no turno da noite, o que não acontecia há mais de 20 anos, tem formato de revista de variedades com perfil mais jovem, entrevistas e flashes ao vivo de shows e eventos da vida cultural de Belo Horizonte.

 

 

Construindo história

Marcando os 80 anos, o presidente da Rádio Inconfidência destaca nomes que fizeram a história da rádio, como o de Jairo Anatólio Lima, um dos maiores locutores esportivos da história de Minas Gerais. Jairo trabalhou na Rádio Inconfidência e apresentou um comentário diário às 11h da manhã.

 

Tutti Maravilha, com o programa Bazar Maravilha, que vai ao ar diariamente das 14h às 16h, se tornou uma referência por estar há muito tempo no ar – com 28 anos acumulados em sua trajetória. Segundo Flávio Henrique, “os artistas gostam de ser entrevistados por ele” porque ele acompanha de perto todos os artistas mineiros e mergulha fundo em suas entrevistas.

 

 

O histórico ‘A Hora do Fazendeiro’, um dos programas de rádio mais antigos do mundo, não poderia deiar de ser citado. A primeira transmissão de ‘A Hora do Fazendeiro’ foi ao ar em 7 de setembro de 1936, quatro dias depois da inauguração da rádio pública de Minas Gerais. Apresentado por Tina Gonçalves e Cristiano Batista, à época foi uns dois mais marcantes para a história e também é rememorado.

 

 

 

Futuro breve

No momento, os planos para o futuro envolvem a mudança para a nova sede. A rádio irá dividir o mesmo ambiente com a Rede Minas de Televisão e a Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, no Centro de Cultura Presidente Itamar Franco, prédio novo, com uma estrutura mais moderna.

Para o presidente, este será o início de uma “nova era”, um “novo aparelho de cultura no Estado” e a primeira sede oficial instalada em um prédio governamental. A mudança deve acontecer entre agosto e setembro. Outro projeto em desenvolvimento é sair do ambiente da rádio e ir às ruas para captar novos ouvintes. “O público está nas ruas, praças e em outros locais. Ir até ele é uma maneira da rádio ser conhecida por novos ouvintes”, sinaliza.

O planejamento não se encerra aí. A rádio adquiriu, recentemente, com recursos próprios, material para um estúdio de produção musical exclusivo, que vai contar com tem um piano de cauda, bateria e amplificadores, para criar e executar material de produção própria, com artistas diversos da cena cultural mineira.

 

 

 

Marca do pioneirismo


No dia 3 de setembro de 1936, Belo Horizonte ganhava um novo canal de comunicação, reconhecido com inúmeras premiações. No mundo, acontecia o voo inaugural de um helicóptero. Para o cinema, Charles Chaplin estreava Tempos Modernos. Para a televisão, era realizada a primeira transmissão regular de TV na Inglaterra (no Brasil, a primeira transmissão foi em 1950).

A iniciativa de se criar uma rádio difusora em Minas Gerais foi articulada na década de 1930, durante o governo de Benedito Valadares. Quem viabilizou a ideia, na ocasião, foi o secretário de Agricultura e futuro governador, Israel Pinheiro. O transmissor da terceira emissora a ser inaugurada em Belo Horizonte – depois das rádios Mineira e Guarani – foi adquirido graças a contribuições de prefeituras do interior, que doaram cerca de dois contos de réis ao governo estadual.

 

 

 

Com os estúdios instalados na antiga Feira Permanente de Amostras, na Praça Rio Branco, a emissora foi inaugurada às 19h de 3 de setembro de 1936. Entre as autoridades presentes estavam o ex-presidente Venceslau Brás e o ministro da Agricultura de Getúlio Vargas, Odilon Braga. Intelectuais e artistas como Tristão de Athayde, Almirante, Carmen Miranda e Orlando Silva também deram o ar da graça. Naquele mesmo mês seria inaugurada no Rio de Janeiro a legendária Rádio Nacional.

O primeiro slogan da ‘PRI-3’ dos mineiros foi ‘a voz de Minas para toda a América’. Em 1938, a Inconfidência foi uma das primeiras rádios do continente a transmitir uma Copa do Mundo de Futebol – a terceira delas, realizada na França, com notável desempenho da seleção brasileira. Pioneira belo-horizontina também nas radionovelas e nos programas de auditório, a emissora sempre teve Hora do Fazendeiro entre seus campeões de audiência.

 

 

 

Competência premiada

O sucesso do programa rural certamente contribuiu para que a Inconfidência ganhasse em 2009 o Prêmio Mídia do Ano em Comunicação Empresarial (categoria rádio), conferido pela Associação Brasileira de Comunicação Empresarial (Aberje). Também no ano passado, sob a presidência do escritor e jornalista José Eduardo Gonçalves (que hoje preside a Rede Minas de Televisão), Hora do Fazendeiro conquistou o Prêmio Abimilho, com uma série de reportagens sobre o milho na cozinha brasileira.

Para orgulho dos seus ouvintes mais fiéis, a Inconfidência FM foi cognominada ‘a brasileiríssima’. Em sua equipe, sempre se destacaram profissionais que primam pelo bom gosto musical, como os programadores Kiko Ferreira, Luiz Marcelo, Paulo Bastos, Miguel Rezende e o apresentador Tutti Maravilha, dono de um estilo inconfundível, que se tornou um dos símbolos do rádio mineiro.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.