sexta-feira, 8 de Maio de 2015 10:43h Pollyanna Martins

16 mil kg de queijo e 7,4 mil kg de carne são condenados durante inspeção municipal

A inspeção foi realizada pela Secretaria Municipal de Agronegócios. 58 empresas foram fiscalizadas em dezembro de 2014 e janeiro e fevereiro de 2015

A Secretaria Municipal de Agronegócios condenou 16 mil kg de queijo e 7,4 mil kg de carne em vários estabelecimentos de Divinópolis. Os dados, que foram divulgados ontem pelo Serviço de Inspeção Municipal (SIM), fazem parte do relatório trimestral da fiscalização dos estabelecimentos de produtos de origem animal, como abatedouros de grandes animais, de aves, entrepostos de carnes, pescados, laticínios e ovos.
De acordo com o convênio 218/2.010 assinado entre a Secretaria de Agronegócios e a Promotoria de Proteção e Defesa do Consumidor, 58 estabelecimentos foram fiscalizados em dezembro de 2014 e janeiro e fevereiro de 2015. Ainda conforme o relatório, em dois estabelecimentos de abate de bovinos e suínos foram inspecionados 5.344 bovinos e 9.869 suínos. Dentre as carcaças inspecionadas, 50 foram condenadas, pesando ao todo 7.477 quilos. Segundo a fiscal da saúde e médica veterinária da Secretaria de Agronegócios, Michelle Pereira do Carmo, foram vários motivos que classificaram o material como inadequado para o consumo humano. A fiscal ressaltou ainda que o material retirado dos estabelecimentos poderia contaminar milhares de pessoas. “O volume de 7,4 mil quilos de carne condenadas, segundo a base de cálculos do IBGE, é suficiente para contaminar e causar as mais diversas doenças em 44.862 pessoas”, explicou Pereira.
Conforme o balanço da secretaria de Agronegócios, 146 vistorias de orientação/fiscalização foram realizadas, além de cinco vistorias para atendimento a denúncias no trimestre. O relatório mostrou também que, em fevereiro, foi realizado um auto de apreensão para um entreposto de queijos. Foram apreendidos e inutilizados 16.771 quilos de queijos em péssimas condições higiênico-sanitárias. Para o secretário de Agronegócios, Paulo Marius, o consumidor encontra segurança alimentar ao adquirir a carne em Divinópolis com os trabalhos de fiscalização do Serviço de Inspeção Municipal. “Quando um consumidor chega a um estabelecimento como açougue ou supermercado para comprar carnes, ele pode ter certeza que está comprando um produto com qualidade e com inspeção. Que não está comprando carne abatida clandestinamente. Que este produto está livre de doenças infectocontagiosas, como tuberculose e brucelose”, destacou.

 

Crédito: Comunicação/PMD

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.