quarta-feira, 23 de Setembro de 2015 12:57h

30% do público alvo recebeu a 2ª dose da vacina contra o HPV

O Setor de Imunização da Diretoria de Vigilância em Saúde, órgão da Secretaria Municipal de Saúde de Divinópolis (Semusa), divulgou boletim parcial da Campanha de Vacinação da 2ª dose contra o Papilomavírus Humano (HPV), que teve início em 16 de setembro

Os primeiros levantamentos apontam que foram vacinadas, até o momento, 1.446 adolescentes com idade de 9 a 11 anos. Este número representa uma cobertura de 30,7% do público alvo da campanha, que em Divinópolis é estimado em 4.704 adolescentes.

Na avaliação dos técnicos do Setor de Imunização da Semusa a adesão nestes primeiros dias de campanha tem sido positiva, visto que desta vez a vacinação ocorre, exclusivamente, nas unidades de saúde e não nas escolas como foi feito na 1ª dose.

“A primeira etapa da campanha, iniciada em março, durou quatro meses e atingiu 83% do público alvo. Agora, em menos de dez dias de campanha, já atingimos pouco mais de 30% desde grupo na segunda etapa de vacinação contra o HPV”, pontua a técnica do setor de imunização da Semusa, Raquel Silva Assunção.

Nesta segunda etapa a vacinação é feita nas 34 salas de vacinas das Unidades Básicas de Saúde, e não nas Escolas, como estratégia para promover ações que estimulem a adolescente a cuidar de sua saúde, e atender à necessidade de registrar a vacinação no Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunização (SIPNI Desktop).

Em 2015, além de as adolescentes, foram incluídas também como público alvo da vacinação contra HPV, mulheres de 9 a 26 anos (26 anos,11meses e 29 dias) que convivem com o vírus HIV. Para receber a vacina, esta população, deve comparecer ao serviço de saúde e apresentar relatório médico com justificativa para a vacinação juntamente com a caderneta de vacinas.

Dia D

Para receber as adolescentes para a vacinação contra o HPV as Unidades de Saúde realizaram diversas atividades no primeiro dia da campanha. Foram oferecidas oficinas, atendimento médico, orientações, massagem corporal, corte de cabelo, escova entre outras iniciativas.

Ao adotar estas estratégias a intenção das Unidades de Saúde foi a de estimular a procura por esta vacina que é vital para as mulheres.

Prevenção

A vacinação, conjuntamente com as atuais ações para o rastreamento do câncer do colo do útero, possibilitará prevenir a doença nas próximas décadas. Atualmente este agravo representa a terceira causa de morte por neoplasias entre mulheres no Brasil.

 

Créditos: Semusa/Carla Sousa

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.