sexta-feira, 28 de Agosto de 2015 10:12h Lorena Silva

63% do público alvo já recebeu vacina contra a poliomielite em Divinópolis

Meta recomendada pelo Ministério da Saúde é uma cobertura de 95%. Vacinação segue até a próxima segunda-feira

Até ontem, 63,64% do público esperado para receber a vacina contra a poliomielite (paralisia infantil) havia sido vacinado em Divinópolis. De acordo com o setor de Imunização da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), das 11.568 crianças estimadas para receber a dose dessa vacina, apenas 7.362 já foram vacinadas nas unidades de saúde do município. A meta recomendada pelo Ministério da Saúde é de uma cobertura de 95% das crianças maiores de seis meses e menores de 5 anos.
A campanha de vacinação contra a poliomielite segue até a próxima segunda-feira (31). Paralelamente, as unidades de saúde também realizam a campanha de multivacinação, em que são disponibilizadas às crianças as doses das vacinas que possam estar em atraso no cartão de vacinação. Durante esse período de multivacinação, todas as vacinas do calendário básico estarão disponíveis, exceto a vacina BCG, que deve ser agendada.
A vacina contra a poliomielite e contra outras doenças podem ser encontradas nas unidades de saúde das 8h às 17h. “É necessário que os pais ou responsáveis entendam que a campanha não terminou e quem ainda não levou deve levar o seu filho para vacinar na unidade de saúde mais próxima da sua casa”, orienta a referência técnica em imunização da Semusa, Marcela Machado.

 

MINAS GERAIS
De acordo com um balanço parcial do Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações, até a tarde de ontem, Minas Gerais havia vacinado 60,67% do público alvo. A meta é vacinar 1.161.989 crianças, sendo que, desse total, 704.991 já foram vacinadas.
Apesar de a doença estar erradicada no país desde 1989, o vírus ainda circula em países da África e Ásia. Desse modo, a única forma de se prevenir da poliomielite e impedir que o vírus volte a circular no país é vacinando todas as crianças. A pólio pode causar deficiência motora e flacidez muscular nos membros inferiores, provocando a paralisia, e podendo levar inclusive à morte.

 

 

Créditos: Divulgação/EBC

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.