sexta-feira, 11 de Março de 2016 09:44h Jotha Lee

Acordo salarial entre prefeitura e servidores municipais fica para semana que vem

Sindicato marca assembleia para apresentação dos resultados das negociações

O Sindicato dos Servidores Municipais e a prefeitura iniciaram essa semana as discussões em busca de um acordo para as reivindicações salariais da categoria. Em estado de greve desde o mês passado, os servidores municipais reivindicam 20% de ajuste nos salários, sendo 12% referente à reposição da inflação do ano passado e mais 8% de ganho real. A categoria ainda quer reajuste do tíquete-alimentação de 185,71%, elevando o valor dos atuais R$ 7 para R$ 20. Segundo o Sintram, o tíquete não é reajustado há 10 anos.

 

 


A primeira negociação aconteceu na quarta-feira, ocasião em que a diretoria do Sintram e uma comissão de servidores que acompanha a discussão, foram recebidas pelo Conselho de Acompanhamento Administrativo e Financeiro da Prefeitura (CAAF), porém nada foi decidido. O presidente do CAAF e controlador geral do município, Agilson Emerson da Silva, explicou que o primeiro encontro serviu para encaminhar a forma de condução do processo de negociação. “Nós pedimos para que o sindicato indicasse uma equipe técnica e nós definimos uma equipe do setor financeiro para apresentar a situação do município e dar mais responsabilidade aos números que estamos projetando daqui em diante. Todas as informações sobre o momento financeiro da prefeitura foram repassadas ao Sindicato”, esclareceu.

 

 


A equipe técnica indicada pela prefeitura – formada por Geneci Martins (Diretoria Contábil), Marconi Alves (Diretor Financeiro) e Valéria Ferreira (Diretora de Administração) - recebeu a Diretoria do Sintram ontem de manhã. Durante mais de uma hora foram expostas as dificuldades do município, especialmente a queda na arrecadação. A equipe da prefeitura se limitou a apresentar os números disponíveis, não entrando em detalhes sobre a discussão do reajuste. Durante o encontro, os representantes dos servidores municipais foram informados que a arrecadação do município vem caindo gradualmente em função da queda na receita própria e também com redução em repasses importantes, como o Fundo de Participação dos Municípios (FPM) e no Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). Outro ponto destacado na reunião é o risco de se ultrapassar o limite permitido pela Lei de Responsabilidade Fiscal para gastos com a folha de pagamento.

 

 


PREFEITO
As duas reuniões ocorridas na quarta-feira e ontem não encaminharam nenhuma negociação concreta e o Sintram espera ouvir uma contraproposta oficial na próxima segunda-feira, quando o prefeito Vladimir Azevedo (PSDB) promete receber os representantes dos servidores municipais. Inicialmente marcado para hoje, o encontro com o prefeito foi adiado para semana que vem, sob alegação de que não havia horário disponível na agenda do chefe do Executivo. Em nota, o Sintram informou que a reunião com o prefeito tem como objetivo “o posicionamento final da prefeitura sobre as reivindicações dos servidores”, o que, na prática, significa que o sindicato espera que o prefeito não apareça de mãos vazias ao encontro e tenha pronta uma contraproposta salarial.

 


Embora ainda não se tenha certeza de que a o Executivo apresentará ma contraproposta na segunda-feira, o Sintram já marcou assembleia dos servidores para quarta-feira, dia 16, às 17h30. A assembleia, segundo nota do sindicato, “vai apresentar os resultados da negociação e deliberar os encaminhamentos desejados pela categoria”. A expectativa é de que haja uma contraproposta oficial do município a ser discutida. Caso isso não ocorra, a categoria que já está em estado de greve, pode aprovar manifestações pontuais pela demora do Executivo em dar uma resposta.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.