sexta-feira, 7 de Março de 2014 05:24h Atualizado em 7 de Março de 2014 às 05:30h. Liziane Ricardo

Adortrans prepara atividades em comemoração ao Dia Mundial do Rim

Tema da campanha deste ano é: “1 em 10. O Rim envelhece assim como nós”.

No dia 13 de março será comemorado o Dia Mundial do Rim e serão realizadas ações em todo o país com o objetivo de divulgar as informações relacionadas às doenças renais, com principal foco em prevenção. Há mais de dez anos a Sociedade Brasileira de Nefrologia coordena essa campanha no Brasil, levando para a população informações sobre os fatores de risco para a Doença Renal Crônica (DRC), bem como sobre o diagnóstico precoce. O tema Mundial da campanha deste ano é: “1 em 10.O Rim envelhece como nós”.
Dentre as 60 cidades da região Centro-Oeste, mais de 300 doentes renais estão integrados na Associação dos Doentes Renais e Transplantados de Divinópolis (Adortrans), desta parcela grande parte é de Divinópolis. Já os pacientes das cidades vizinhas são atendidos com medicamentos, consultas e exames, conforme explicado pelo diretor da entidade os pacientes de Divinópolis contam ainda com o transporte de 70 pacientes feito com uma Van que roída em média 300 quilômetros por dia.
A campanha organizada pela diretoria voluntária da Adortrans visa prevenir as pessoas contra a doença, dentre as atividades serão feitas aferição de pressão, orientações nutricionais, será medida a massa corporal (IMC) além de tirar todas as dúvidas da população. “Estamos tentando no dia dez entrar no jogo do Guarani e Atlético com algumas faixas de conscientização e prevenção da doença dos ruins. Além das atividades já programadas ao longo da semana com campanhas nos semáforos também. Já no dia 15 faremos no quarteirão fechado da Rua São Paulo contaremos com ajuda de estudantes da UFSJ do setor de Pronefro com as aferições de pressão e orientações”, contou o diretor da Adortrans, Maldo de Oliveira.

SEM SABER
Atualmente, muitas pessoas tem problema nos ruins e não sabe devido o órgão se manter funcionando com percentual entre 12% e 8% apenas do ruim funcionando. Como foi o caso do próprio diretor da Adortrans que não obteve as orientações de prevenção, e acabou descobrindo a doença após se tornar crônica. “Também faço hemodiálise há cinco anos por pura falta de orientação, e tem muita gente que está na hemodiálise assim como eu por falta de orientação. Esta é uma doença silenciosa, por isso é importante a prevenção, procurando um médico nefrologista, ou aferindo a pressão” avaliou Maldo.

PREVENÇÃO
A pressão alta pode ser um fator de risco influente no diagnóstico para prevenir contra a doença dos ruins. Hoje 90% das pessoas que fazem hemodiálise e quem tem a doença crônica partiu da diabetes e da pressão alta, já os outros 10% pode ser diagnosticado como hereditário, ou seja, quando alguém da família já teve a doença e passou entre as gerações. Maldo Oliveira garantiu que desde sua posse na direção da Adortrans há cerca de quatro meses, seu lema é trabalhar com a prevenção da doença.

TRANSPLANTE
“Todo mundo sonha com um transplante, e conseguir um transplante hoje é como ganhar na Mega Sena”, enfatizou Maldo. O transplante pode ser realizado a qualquer momento, desde que o paciente esteja cadastrado na fila de espera e consiga um rim compatível. Já houve casos da Adortrans colocar pacientes dentro de um táxi para levar o paciente até Belo Horizonte ainda na madrugada para a realização do transplante. Há também a hipótese da doação familiar, ou seja, quando algum familiar muito próximo do paciente se predispõe a doar o órgão, neste caso é feita uma bateria de exames em ambos para analisar a compatibilidade. “Caso o parente não seja compatível, o paciente necessita aguardar na fila de transplante. E há ainda casos de pessoas que não podem ser transplantados devido o risco cirúrgico, como por exemplo, problemas cardíacos que impossibilita a cirurgia”, explicou.

DIFICULDADES
Considerando que a Adortrans conta com apenas uma Van e a outra encontra-se estragada. A entidade enfrenta muitas dificuldades no transporte dos pacientes, devido os gastos com manutenção, uma vez que a mesma sobreviver de doações. Segundo Maldo, o que se espera é que a Prefeitura de Divinópolis libere a terceira Van conseguida com verba do deputado federal Jaime Martins (PSD), mas devido a algumas burocracias há cinco meses que a entidade aguarda pela liberação do veículo. “Não temos a certidão negativa solicitada pelo Governo para que tenhamos propriedade da Van, então propusemos um comodato com a Prefeitura para que seja possível emprestar o veículo, em forma de prestação de serviço. No caso da Adortrans contar com pacientes amputados, idosos e cadeirantes, o município é obrigado a emprestar o veículo para a entidade. “Este ano faremos também uma campanha para arrecadar fundos para consertar a van estragada” finalizou Maldo.        

PROGRAMAÇÃO
Dia 15 de março de 8h às 18horas no quarteirão fechado da Rua São Paulo:
- Aferir pressão;
- Medir sua massa corporal (IMC);
- Receber orientações nutricionais;
- Tirar todas as dúvidas com relação a doença.

“Todo mundo sonha com um transplante, e conseguir um transplante hoje é como ganhar na Mega Sena”.

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.