terça-feira, 7 de Julho de 2015 11:59h Atualizado em 7 de Julho de 2015 às 12:06h. Jotha Lee

Aeroporto fica lotado na chegada do voo inaugural da linha aérea

Avião chega com capacidade máxima e retorna a Campinas com mais de 72% dos lugares ocupados

Banda de Música da PM, autoridades civis e militares, políticos, foguetório, centenas de curiosos e até vendedores ambulantes de churrasquinho e picolé. Foi assim a chegada ontem do voo inaugural da linha comercial que liga Divinópolis a Campinas, no interior de São Paulo. Mais de 300 pessoas se espremeram nos acanhados espaços liberados para quem estava ali somente para assistir a chegada do primeiro voo, enquanto dezenas de jornalistas, seguranças e técnicos andavam apressados acertando os últimos detalhes para a chegada do voo, que se transformou em um acontecimento não apenas de importância comercial, mas que também acabou em um ato político, com discursos inflamados e de alívio.
Pouco antes do meio-dia, curiosos começaram a chegar ao Aeroporto de carros, motos, bicicletas e, quem mora nas proximidades, fez uma caminhada para assistir ao voo inaugural. Quem não conseguiu lugar na parte cedida ao público, se espremeu na cerca de telas de proteção à pista. Pouco a pouco, todos os lugares disponíveis foram ocupados, enquanto funcionários da Socicam, empresa que administra o aeroporto, conduziram de forma tranquila toda a organização para a chegada do aguardado voo. Já se sabia que haveria grande público para assistir a chegada da aeronave e a Socicam se preparou para isso. Agentes da Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes, Polícia Militar e Corpo de Bombeiros garantiram a segurança.
Às 13h20, conforme previsto, o ATR72-600, da Azul Linhas Aéreas, sobrevoou Divinópolis, sendo recepcionado com os acordes da Banda de Música da PM e cinco minutos de fogos de artifício. Com 70 passageiros a bordo, capacidade máxima, mais a tripulação, o turboélice fez uma aterrissagem tranquila, taxiou pela pista e às 13h29 passou pela Brigada de Incêndio, recebendo densos jatos de água, no chamado “batismo da aeronave”, uma tradição aérea em voos inaugurais.
Logo a seguir, começou o desembarque. Além do prefeito, Vladimir Azevedo (PSDB), sua esposa Janaina e o filho Emanuel, também desembarcaram o deputado federal Domingos Sávio (PSDB), e estadual Fabiano Tolentino (PPS), seguidos dos vereadores José Wilson Piriquito (SD), e do presidente da Câmara, Rodrigo Vasconcelos de Almeida Kaboja (PSL). Os empresários estavam representados por Afonso Gonzaga, presidente da Regional Centro-Oeste da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg). O secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Paulo Cesar dos Santos, que conduziu o processo de instalação da linha aérea, foi um dos últimos a desembarcar, seguido de Ronaldo Veras, assessor da presidência da Azul Linhas Aéreas, e do vice-prefeito, Rodrigo Resende (PDT).
Em terra, o voo inaugural foi recepcionado pelo empresário José Alonso Dias, a Miss Divinópolis Bruna Gomides, o deputado federal Jaime Martins (PSD), além de empresários, vereadores de Divinópolis e região, prefeitos de cidades vizinhas e cerca de 300 pessoas que se acotovelaram em todos os espaços disponíveis. Comandantes das forças de segurança militar e civil também participaram da recepção. O pai do prefeito Vladimir Azevedo, ex-vice-prefeito Hilário Azevedo, acompanhado da esposa Ana Lúcia Azevedo, acompanhou a aterrissagem no espaço reservado a alguns convidados especiais.

 

HORÁRIOS
Após o desembarque, autoridades e convidados se dirigiram para uma tenda armada do lado externo do Aeroporto, onde aconteceu uma solenidade, que durou 55 minutos. Os discursos não saíram do lugar comum em destacar as vantagens de uma linha comercial, além de relembrar pioneiros da aviação da cidade, como o primeiro piloto divinopolitano, Ítalo Cônsoli. O secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Paulo César dos Santos, que nos últimos meses enfrentou a dura realidade de oito adiamentos de datas previstas para início das operações, se mostrou visivelmente aliviado. “Missão dada, missão cumprida”, resumiu.
O prefeito Vladimir Azevedo afirmou que era um momento esperado e que significava muita luta. “Desde o início do meu primeiro mandato que lutei muito para lançar Divinópolis no mundo, no mundo que é globalizado, e esse mix com Campinas nós articulamos e investimos na estrutura do Aeroporto. É um momento histórico, que a gente abre um novo ciclo econômico, social e cultural em Divinópolis e que talvez, nós que estamos vivendo, não sabemos mensurar o que esse momento vai significar para a nossa sociedade”, afirmou.
Provocado sobre a turbulência que foram os preparativos para o lançamento da linha aérea, o prefeito assegurou que o primeiro voo foi perfeito. “Voo suave, tranquilo, pouso tranquilo, companhias agradáveis e um ótimo serviço de bordo. Tudo perfeito, graças a Deus”, comemorou.
Um dos principais questionamentos que já surgiram são os horários, já que para muitos, a saída de Divinópolis para Campinas no meio da tarde, é inadequada, pois inviabiliza a utilização da linha aérea para uma viagem sem a necessidade do pernoite em São Paulo. Vladimir Azevedo assegurou que isso já está sendo estudado. “Por enquanto é só o início. Estamos planejando uma reunião com a Azul e com os empresários da região. Nós precisamos de um horário para registrar o voo na Anac [Agência Nacional de Aviação Civil] para o começo e buscaremos as adaptações necessárias”, assegurou.

 

CONEXÃO
O assessor da presidência da Azul Linhas Aéreas, Ronaldo Veras, que também desembarcou no voo inaugural, fez um agradecimento incluindo todas as autoridades locais e o governo do Estado, que tornaram possível a linha aérea. “Diria que Divinópolis hoje está a um pouso da América do Norte e a outros 55 destinos e estamos muito felizes com a receptividade”, afirmou.
Sobre o horário, Ronaldo Veras assegurou que a questão já é objeto de estudos por parte da Azul Linhas Aéreas. “Nós já estamos avaliando algumas possibilidades. Inicialmente tínhamos que fazer várias avaliações, como a disponibilidade de aeronaves, a conexão, porque não adianta eu levar Campinas, sem que haja conexão com outros voos de forma bem tranquila. Mas logicamente vamos avaliar outras possibilidades, não gostaria de prometer, porque ainda é o início das operações e nós estamos testando o mercado”, finalizou.
Dentro do horário previsto a aeronave retornou a Campinas, levando 51 passageiros, 72,85% de sua capacidade. “Isso mostra que haverá demanda, mostrando que será um início sustentável”, disse o prefeito Vladimir Azevedo.

Crédito: Jotha Lee

 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.