sábado, 5 de Março de 2016 09:03h Jotha Lee

Aliança entre 11 partidos pode apoiar candidatura do PROS a prefeito

Legendas se reúnem e iniciam discussões para viabilizar futura composição

Com a aproximação do fim do prazo para mudanças partidárias de vereadores com mandato e para a filiação de quem pretende disputar as eleições desse ano, os partidos políticos intensificam as discussões para a composição das alianças. Conforme as regras eleitorais, o político com mandato que pretenda mudar de legenda tem 15 dias para a decisão, já que o prazo vence no próximo dia 18. Já para o candidato que não está exercendo cargo eletivo e pretende mudar de legenda ou fazer a primeira filiação, o prazo termina no dia 2 de abril. Para atender a um eventual aumento na demanda, os cartórios eleitorais de Divinópolis passam a funcionar a partir de amanhã em regime de plantão aos sábados e feriados, de 12h às 18h. O Juiz titular da 103ª Zona Eleitoral, Ather Aguiar, lembrou que no dia 4 de maio vence o prazo para o eleitor requerer sua inscrição eleitoral, revisão ou transferência de domicílio.

 


De olho no fim dos prazos, o PROS, que já lançou a pré-candidatura a prefeito do vereador Marquinhos Clementino, acelerou as reuniões com partidos e políticos para concretizar as alianças visando o pleito de outubro. Na noite da última quinta-feira, 11 partidos participaram de uma reunião a convite do PROS, discutindo a formação de novas alianças e adesões, especialmente para a composição das candidaturas a vereador. Entre os partidos presentes estavam o PPS, do deputado estadual Fabiano Tolentino, e o PRB da ex-vereadora Heloisa Cerri, que também já acenaram a possibilidade de disputar a eleição majoritária.

 

 


Três vereadores – Delano Santiago (PRTB), Anderson Saleme (PR) e Marcos Vinicius (PSC) – também participaram da reunião e devem aderir ao projeto do PROS, inclusive com a possibilidade de mudança de legenda. Marquinhos Clementino disse ontem que já vem conversando com esses vereadores sobre uma futura aliança. “Esses vereadores com os quais estamos conversando, aqueles que forem se manter nos seus partidos de origem, podem também aderir ao nosso projeto”, afirmou. “A discussão para a chapa majoritária ficará para um segundo momento, mas nessa reunião já foram salientados nomes e lideranças que se predispõem a disputar a sucessão e desse grupo com certeza sairá os candidatos a prefeito e vice”, garantiu.

 

 


IRREVERSÍVEL
Marquinhos Clementino disse ainda que sua candidatura a prefeito é irreversível. “A partir do momento em que eu assumi esse compromisso com o partido e que eu tive esse apoio, eu tenho que cumprir esse compromisso. Minha candidatura é irreversível até porque nós temos os nossos ideais. Temos que resgatar a confiabilidade que a população tinha nos políticos locais”, assegurou. “Esse grupo vê a possibilidade de mudar o cenário político de Divinópolis e depois virão ouras mudanças, como o panorama econômico, por exemplo. Esse grupo tem se mostrado muito alinhado nesse pensamento”, acrescentou.

 

 


Sobre a participação do deputado Fabiano Tolentino na reunião, o pré-candidato do PROS deixou claro que a aliança está decidida, mas não bateu o martelo sobre a possibilidade do PPS indicar o candidato a vice em sua chapa. “Eu acho que ainda é um pouco cedo para a gente falar disso. São duas relações que precisam ser observadas. Eu tenho uma relação de amizade de longa data com o Fabiano e o envolvimento político começou há algum tempo, mas, esse alinhamento final passa por uma discussão de grupo. O grupo dele participará do nosso grupo, mas ainda é muito cedo para falar em quem vai indicar o vice”, observou.  “O deputado tem sinalizado positivamente ao nosso projeto e isso é um passo muito bom”, salientou.

 

 

 


Entre os 11 partidos que participaram da reunião, além do PROS, o PPS e o PRB já haviam sinalizado a possibilidade de lançar candidaturas a prefeito. Entretanto, segundo Marquinhos Clementino, o que está em discussão é um projeto político e não vaidades pessoais. A ex-vereadora Heloisa Cerri, que esse ano deixou o PV para assumir a presidência do PRB em Divinópolis e a princípio deveria ser candidata a prefeita, vai abrir mão da candidatura e deverá disputar a eleição para a Câmara. Para Marquinhos Clementino, a aliança está encaminhada. “A participação na reunião do PPS e do o PRB juntamente com o PROS possibilita ainda mais a formação de uma chapa competitiva, com possibilidade de êxito”, concluiu.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.