sábado, 28 de Fevereiro de 2015 04:48h Atualizado em 28 de Fevereiro de 2015 às 04:56h. Mariana Gonçalves

Alunos de escola técnica promovem projeto de distribuição de mudas

A intenção dos alunos do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) é incentivar os divinopolitanos a plantarem pelo menos uma muda de árvore, seja em sua residência ou na rua

No estande montado na Praça da Catedral, as diversas e diferentes plantas chamavam a atenção. As mudas estão sendo distribuídas gratuitamente para a população. A ação começou ontem e será encerrada no dia 6 de março.
Para o estudante Euler José da Silva Guimarães, de 14 anos, o projeto é de grande valia para a sociedade, principalmente porque planta nas pessoas o conceito de que cultivar uma árvore é importante. “Todas as pessoas deveriam ter uma árvore ou algum pé de fruta em casa, isso ajudaria o meio ambiente e melhoraria a nossa vida”, destaca.
As mudas são fruto de uma parceria do Senac com a iniciativa privada. O instrutor de aprendizagem comercial do Senac em Divinópolis, Thiago Caetano, explica que o projeto faz parte de uma campanha contra desmatamento. É de suma importância que o cidadão mude seus hábitos de vida, não só em favor do planeta, mas até mesmo para garantir a continuação da vida humana. No total, serão distribuídas 70 mudas de plantas.

REALIDADE
De acordo com uma pesquisa realizada pela Universidade da Bahia, o Brasil é o segundo país com a maior cobertura vegetal do mundo, ficando atrás apenas da Rússia. Entretanto, o desmatamento está reduzindo de forma significativa a cobertura vegetal no território brasileiro. São aproximadamente 20 mil quilômetros quadrados de vegetação nativa desmatada por ano em consequência de derrubadas e incêndios.
Esse processo acarreta vários fatores negativos ao meio ambiente, entre eles se destacam perda da biodiversidade, empobrecimento do solo, emissão de gás carbônico na atmosfera, alterações climáticas, erosões, entre outros. O desmatamento no Brasil ocorre principalmente para a prática da atividade agropecuária. Porém, a construção de estradas, hidrelétricas, mineração e o processo intensivo de urbanização contribuem significativamente na redução das matas.
Conforme cálculos do Instituto Nacional de Pesquisa Espacial, a área desmatada na Amazônia até o ano de 2002 era superior ao tamanho do território francês. Isso se deve principalmente à extração de madeira e atividade agropecuária. De acordo com pesquisas do Ministério do Meio Ambiente, foi constatado que 80% da extração da madeira na Amazônia ocorrem de forma ilegal.

 

 

Crédito: Mariana Gonçalves

 

 

 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.