sexta-feira, 8 de Maio de 2015 10:12h Atualizado em 8 de Maio de 2015 às 10:22h. Jotha Lee

Anac aponta restrições e não libera voos para Campinas

Agência diz que há impedimentos relacionados à brigada de incêndio

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) publicou ontem o resultado da análise do pedido de voo comercial para a ligação aérea entre Divinópolis e Campinas. O pedido foi protocolado pela Azul Linhas Aéreas, companhia que vai operar a ligação, no dia 29 de abril, estabelecendo a data de 1º de junho para início das viagens. A Anac impôs novas restrições e não autorizou o voo, porém manteve em aberto da data solicitada pela Azul.
De acordo com a assessoria de imprensa da Anac, as restrições que impediram a aprovação do pedido estão relacionadas à brigada de incêndio. Na semana passada, o caminhão-bombeiro da brigada chegou a Divinópolis e seis funcionários treinados já estão disponíveis. A Socicam, empresa que administra o aeroporto, garantiu na ocasião que tudo estava de acordo com as exigências da Agência. Ontem, a reportagem não conseguiu localizar a supervisora da Socicam para comentar a decisão da Anac.
A Azul Linhas Aéreas, através da assessoria de imprensa, garantiu que a companhia está pronta para iniciar as operações. “Estamos prontos para voar. O avião já está disponível, já temos a equipe de bordo, nosso organograma para operar a partir de 1º de junho está mantido”, garantiu.

 

NOVELA
A ligação aérea entre Divinópolis e Campinas está se transformando em uma longa novela. Desde dezembro do ano passado, já foram marcadas seis datas para início das operações, adiadas por restrições relacionadas à adequação do aeroporto. Na semana passada, o caminhão da brigada de incêndio e o aparelho detector de metais chegaram a Divinópolis. Seria a última exigência a ser cumprida pela Prefeitura para o início efetivo da ligação aérea.
O prefeito, Vladimir Azevedo (PSDB), que acompanhou o primeiro teste da brigada de incêndio, garantiu que todas as exigências haviam sido cumpridas. “A Prefeitura, com a chegada do caminhão da brigada de incêndio, cumpre todas as suas etapas no processo de adequação do aeroporto. Também cumprimos tudo que foi exigido da sala de embarque, criação de canal de inspeção que já está em fase de montagem [detector de metais], adequação da sala de bagagens e o setor de incêndio era a última etapa a ser cumprida, o que aconteceu com a chegada do caminhão”, afirmou.
Já o secretário Paulo César dos Santos lembrou que a decisão da Anac não se restringia somente às exigências feitas à Prefeitura. “É importante salientar que a Anac não faz a liberação com base exclusivamente em nossa situação. Ela também observa a situação da empresa aérea e existem vários motivos para liberar ou não. No que tange à nossa parte, estamos prontos e se há algum outro impedimento, a solução dependerá somente da atuação da Azul”, explicou.
De acordo com a Anac, a decisão divulgada ontem não significa que a data de 1º de junho para início das operações tenha que ser alterada. Segundo a assessoria de imprensa da Agência, as pendências podem ser solucionadas, permitindo a liberação voos até a data prevista. “Não há restrições quanto ao aeroporto, porém a decisão de hoje [ontem] pode ser revertida até a data solicitada. O impedimento para que a liberação fosse concedida está ligado à brigada de incêndio”, finalizou. A assessoria da Agência não especificou quais restrições determinaram a decisão.

 

Crédito: Jotha Lee

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.