terça-feira, 17 de Novembro de 2015 08:47h Atualizado em 17 de Novembro de 2015 às 08:49h. Mariana Gonçalves

Aparelho estragado há meses em Academia ao Ar Livre do Porto Velho revolta população

No fim da Rua Jovelino Rabelo, no bairro Porto Velho, o calçadão abriga uma pequena Academia ao Ar Livre, os equipamentos de ginástica instalados lá são simples, mas, principalmente, a população idosa faz questão de usá-los diariamente

O local tinha quatro aparelhos, mas agora está somente com três, isso porque um deles estragou, segundo moradores, há mais de cinquenta dias, e até hoje nenhum reparo foi feito.
O representante comercial e também tesoureiro da Associação de Moradores do Porto Velho, Décio Gualberto Fonseca, relata que ele esteve pessoalmente na Secretaria de Esportes, procurando algum responsável para conversar sobre o problema, mas não encontrou ninguém. “Fui também à Câmara de Vereadores falar sobre o assunto, porque você não acha o responsável para arrumar o equipamento. O presidente do bairro, infelizmente, não tomou providências nenhuma também, e ele foi informado sobre o problema”, comenta.
Segundo Décio, ele pediu que uma moradora próxima à academia que guardasse em sua residência as peças do equipamento estragado, temendo que estes materiais pudessem ser roubados. “Se eu colocar a mão e arrumar por minha conta, para atender a população, posso até ser processado, porque a Lei não me permite fazer esse reparo, então fica uma situação muito complicada. Quem pode fazer, não quer fazer”, desabafa.
De acordo com a assessoria de comunicação da Prefeitura de Divinópolis, a Secretaria de Esportes não recebeu nenhuma notificação sobre o aparelho estragado na Academia ao Ar Livre do bairro Porto Velho. No entanto, a assessoria disse ainda que, essa semana, uma equipe irá ao local fazer a vistoria.

 

 

PROMOÇÃO A SAÚDE

A proposta da Academia ao Ar Livre é que ela seja um espaço de livre acesso da população, voltada, principalmente, para a utilização de pessoas com idade acima de doze anos, preferencialmente pertencentes à faixa etária de idosos – acima de 60 anos. Estes espaços visam promover a prática de atividade física, dessa maneira, sendo forte auxílio no combate ao sedentarismo, contribuindo também para a minimização do risco de doenças, como hipertensão e para a redução no número de internações e de medicamentos.
Treze regiões da cidade já receberam os equipamentos da Academia.

 

 

ACIMA DO PESO

De acordo com material publicado no portal de noticias www.uai.com.br, mais da metade da população brasileira está acima do peso (56,9 %). Os dados são de uma pesquisa do IBGE, divulgada em agosto desse ano.
Segue trecho da publicação na íntegra. “Cerca de 82 milhões de pessoas apresentaram o IMC igual ou maior do que 25, estando aí incluídos os obesos. Isso indica uma prevalência maior de excesso de peso no sexo feminino (58,2 %), que no sexo masculino (55,6%). Estes percentuais incluem os portadores de obesidade. De acordo com o estudo, o excesso de peso aumenta com a idade, de modo mais rápido para os homens, que na faixa de 25 a 29 anos chega a 50,4%. Contudo, nas mulheres, a partir da faixa etária de 35 a 44 anos a prevalência do excesso de peso (63,6%) ultrapassa a dos homens (62,3%), chegando a mais de 70,0% na faixa de 55 a 64 anos. A partir dos 65 anos de idade, observa-se um declínio da prevalência do excesso de peso, tanto no sexo masculino quanto no feminino, sendo mais acentuada nos homens, que na faixa etária de 75 anos e mais corresponde a 45,4% contra 58,3% do sexo feminino”.

 

Créditos: Mariana Gonçalves

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.