quinta-feira, 13 de Junho de 2013 13:06h Daniel Michelini

Após meses de inatividade, “Centro do Imigrante” será demolido

Antigo ponto de informações e bom tratamento às pessoas que saíam de outras cidades e vinham à Divinópolis, o Centro do Imigrante, localizado próximo à ponte que dá acesso ao bairro Porto Velho, está fechado há alguns meses. Há alguns anos, o Centro do Im

Antigo ponto de informações e bom tratamento às pessoas que saíam de outras cidades e vinham à Divinópolis, o Centro do Imigrante, localizado próximo à ponte que dá acesso ao bairro Porto Velho, está fechado há alguns meses. Há alguns anos, o Centro do Imigrante serviu como abrigo às pessoas que sofreram com as enchentes na cidade, fato constante em períodos passados, especialmente nos finais de ano.

No entanto, a situação do local é preocupante. Desativado, a casa onde funcionava o Centro está abandonada, com portas arrombadas e janelas quebradas. Algumas denúncias foram feitas, informando que é constante o movimento de traficantes e usuários de drogas na antiga sede do abrigo, especialmente na parte da noite. Como não há uso freqüente do local, os usuários dormem, fazem necessidades e, segundo comerciantes e pedestres, praticam sexo no local.

Na tarde de ontem , a equipe de reportagem do jornal Gazeta do Oeste esteve no local e constatou os problemas quanto à atual estrutura. Por volta das 14h45, uma pessoa, que não quis se identificar, estava saindo da residência, trancando com cadeado o portão. Ao ser questionado sobre a situação da casa, ele confirmou que algumas pessoas estão usando o espaço para uso de drogas, além de outras coisas que desagradam quem passa pelo local. Quanto à propriedade, ele disse que a casa é particular, pertencente à professora Janeth, de acordo com essa pessoa.

Além disso, o homem que estava saindo da residência no momento disse que a casa será demolida, fazendo com que o espaço se transforme num estacionamento próprio de uma empresa localizada ao lado do antigo Centro do Imigrante. E os preparativos já parecem ter começado. Dentro do terreno, já é possível observar muros caídos e materiais no chão.

Dessa maneira, em breve, o espaço que era destinado às pessoas que chegavam à Divinópolis e também como abrigo aos necessitados, estará repleto de vagas para veículos.

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.