sexta-feira, 19 de Junho de 2015 12:11h Atualizado em 19 de Junho de 2015 às 12:17h. Pollyanna Martins

Após Operação Fênix, usuários de drogas se instalaram em vários lugares da cidade

É possível encontrar os usuários de drogas próximo ao campo do Guarani

a Operação Integrada Fênix, realizada no dia 10 de junho na Praça Candidés – no bairro Niterói, em Divinópolis – os usuários de drogas que foram retirados do local e não aceitaram tratamento médico se espalharam por toda cidade em busca de um novo ponto para o uso dos entorpecentes. Um destes pontos de maior aglomeração é próximo ao Estádio Waldemar Teixeira de Faria (Campo do Guarani).
Nossa reportagem esteve no local e flagrou vários jovens consumindo drogas em plena luz do dia. Os usuários não se intimidaram com a nossa presença e continuaram a usar os entorpecentes. Esta migração já era prevista pelo comandante da 7ª Região, coronel Laércio Reis. Durante uma coletiva de imprensa, feita para informar o balanço da operação, o coronel adiantou que a migração era prevista e outras operações seriam realizadas. “Nós estamos preparados para a migração, é uma consequência que eu acredito ser até natural. Mas estamos trabalhando com esta possibilidade, inclusive fazendo o devido monitoramento para ações necessárias para o caso de migração”, explica. O coronel, porém, não informou quais serão os próximos alvos de operações.
Outro ponto dominado pelos usuários é uma casa abandonada na Rua Chumbo, também no bairro Niterói. A casa já foi alvo de várias reclamações dos vizinhos. Segundo uma moradora, que preferiu não se identificar, há cerca de oito meses a situação dos usuários de drogas no local era insuportável. Ela e outros moradores entraram no local e encontraram cama, cobertores, colchões e muito lixo. Tudo foi jogado fora e, mesmo após a dona do imóvel ter colocado concreto na entrada da casa, os usuários continuam usando o local.
A moradora relata que durante o dia os usuários de drogas não ficam no local, mas o invadem durante a noite. Na entrada da casa, é possível ver que os usuários retiraram o arame farpado colocado na porta para impedir a entrada deles. Preservativos são encontrados logo na entrada e o mau cheiro toma conta do imóvel. De acordo com a moradora, o seu medo é quando o filho chega da faculdade. Ela conta que vários funcionários do Hospital São João de Deus já foram assaltados quando passavam pelo local. “Depois que a proprietária da casa colocou o concreto melhorou um pouco, mas a situação ainda continua. Eles [os usuários] usam a casa para usar drogas, fazer sexo, e são muitos que entram ali. E assaltam quem passa por aqui para manter o vício, já roubaram bolsa, celular”, descreve.

 

OPERAÇÃO
Durante a operação, 62 usuários de drogas foram detidos, sendo que 21 são de outras cidades, e, dessas, quatro foram encaminhadas às suas cidades de origem.  Sete pessoas foram para o Centro de Acolhimento da Prefeitura, 19 foram encaminhados para o recém-criado Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (Caps-Ad). Três foram direcionadas para as unidades terapêuticas e uma foi para Centro de Atenção Psicossocial (Caps III). Quem não aceitou o tratamento voltou para as ruas.
Foto: Usuários de drogas (10) (Su, mancha o rosto, por favor)
Legenda: Os usuários se concentraram próximo ao Campo do Guarani
Crédito: Pollyanna Martins

 

Crédito: Pollyanna Martins

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.