quinta-feira, 17 de Março de 2016 10:32h Atualizado em 17 de Março de 2016 às 10:34h. Mariana Gonçalves

Ato de greve dos profissionais da educação é encerrado hoje

Está previsto para hoje o Primeiro Encontro dos Assistentes Técnicos da Educação Básica (ATBs), além de uma reunião com o Conselho de Representantes das Superintendências Regionais de Ensino e, após a reunião, grupo de trabalho

A movimentação grevista iniciada pelos profissionais da educação de todo o país será encerrada hoje, segundo consta no cronograma de atividades do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (SindUTE-MG).
A coordenadora do Departamento de Políticas Sociais e Imprensa do SindUte, Maria Catarina Vale, destacou que já houve, por parte do governo, um parecer favorável às questões de salário reivindicadas pela categoria, no entanto, o processo ainda não acabou, porque precisa passar por aprovação na câmara. Maria Catarina ressalta também que está terminando a mobilização de greve com ações agendadas, mas a discussão salarial e de melhores condições de trabalho para a categoria são permanentes.

 

 


Entre as demandas da educação, o descontentamento da categoria com a terceirização, que já atinge alguns segmentos da educação no país. “Em Divinópolis, já tem alguns setores da rede de educação em que já há terceirização, um dos piores males da terceirização, em nossa opinião, é que não haverá mais compromisso com concurso, então, a profissionalização dos educandos ficará comprometida, além disso, sabemos como funciona a terceirização, sem direitos algum e é um ‘troca-troca’ de empresas quando quiserem”, avalia Maria Catarina.
A coordenadora do departamento de políticas do Sind-Ute falou ainda sobre a entrega das escolas a organizações sociais, o que também não é nada favorável à categoria.

 

 


“A entrega das escolas às organizações sociais está virando uma grande ameaça no país. O Estado de Goiás já estava com isso em andamento, não sei se parou, temos onze escolas em Goiás que foram entregues para organizações sociais, é a mesma coisa de terceirização, ou seja, se nós não lutarmos contra isso, logo virará moda toda a educação ficar tomada pelas organizações sociais e, nisso, o compromisso dos governos com a educação, que, aliás, já não é quase nenhum, não vai existir. Mesmo que isso não esteja acontecendo em nossa cidade e Estado, nós não estamos livres”, completa.

 

 

OUTRAS MOBILIZAÇÕES

Dia 31, será promovida a Participação do Dia Nacional de Mobilização, com Marcha à Brasília, evento idealizado pelas frentes Brasil Popular e Povo sem Medo. A mobilização será contra a reforma da previdência, ajuste fiscal e cortes sociais, defesa do emprego e dos direitos dos trabalhadores, e o pedido de saída de Eduardo Cunha.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.