sábado, 3 de Outubro de 2015 04:52h Atualizado em 3 de Outubro de 2015 às 04:53h. Pollyanna Martins

Bancos entram em greve dia 6 de outubro

Decisão foi tomada durante uma assembléia realizada nessa quinta-feira (1)

Os bancos de todo Brasil vão entrar em greve a partir desta terça-feira (6). A decisão foi tomada na noite dessa quinta-feira (1), durante uma assembléia realizada em todos os sindicatos do país. A paralisação já foi sinalizada nessa terça-feira (29), quando o Comando Nacional dos Bancários indicou a rejeição da proposta feita pela Federação Nacional dos Bancos (Fenaban). A Federação propôs para a classe um reajuste de 5,5% de reajuste para salários e vales, e inclui ainda, abono de R$ 2,5 mil, não incorporados ao salário. Os bancários pedem um aumento salarial de 16% (incluindo reposição da inflação mais 5,7% de aumento real), entre outras reivindicações.
Segundo o Comando Nacional dos Bancários, coordenado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), a categoria ainda fará assembleias na próxima segunda-feira (5), para organizar o movimento. Em nota, o Sindicato dos Trabalhadores do Ramo Financeiro de Divinópolis e Região informou que para “cumprimento das exigências contidas na Lei nº 7.783/89, avisa a todas as Instituições Financeiras, públicas e privadas, usuários de seus serviços e a população em geral, que os empregados pertencentes à categoria bancária, em assembleia realizada em 01/10/2015, deliberaram em paralisar suas atividades a partir da 00h00 do próximo dia 06/10/2015 por prazo indeterminado.”
De acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Ramo Financeiro de Divinópolis e Região, Djalma Antônio Biata, caso a Fenaban apresente uma proposta antes do dia 6 de outubro, e a classe aceite, a greve não ocorrerá. “Nós entregamos a pauta com a reivindicação dos bancários para a Fenaban, no dia 11 de agosto, e de lá para cá, tiveram quatro rodadas de negociações, e a última foi dia 25 de setembro, então, eles tiveram dois meses para analisar as propostas e nos dar a resposta. Só que eles nos deram uma proposta muito fraca.”, explica.
Em nota, a Fenaban informou que a proposta dos bancos tem o objetivo de compensar perdas da inflação passada. “No momento delicado da economia, a proposta apresentada visa a compensar perdas decorrentes da inflação passada, sem contaminar os índices futuros, o que iria contra todos os esforços do governo para reequilibrar os fundamentos macroeconômicos, possibilitando a retomada do crescimento econômico”, diz o documento.
Reivindicações
Além do reajuste salarial, a classe está reivindicando também, melhores condições de trabalho. Segundo Djalma, há um déficit de funcionários e pressão para que eles vendam produtos bancários, como por exemplo, seguros de vida, seguro de cartão, entre outros. “Nós queremos mais contratações. A Caixa Econômica Federal teve agora uma aposentadoria incentivada, aonde saíram muitos funcionários. Tem o concurso da Caixa, onde várias pessoas passaram e estão aguardando para serem chamadas. Outra coisa que nós queremos também é a diminuição desses produtos que o banco tem, porque os bancários precisam bater metas todo mês na venda”, informa.

População
A população poderá sacar dinheiro nos caixas eletrônicos, quem for correntista da Caixa Econômica Federal poderá sacar também em lotéricas. O pagamento das contas poderá ser feito nas loterias, pela internet e caixa eletrônico.

 

Créditos: Pollyanna Martins

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.