sexta-feira, 27 de Março de 2015 10:48h Atualizado em 27 de Março de 2015 às 10:51h. Mariana Gonçalves

Banda divinopolitana realiza apresentação em programa de talentos do SBT

Além da beleza feminina destacada nas misses, Divinópolis tem projetado para todo o Brasil grandes artistas

Não é a primeira vez que temos bandas locais participando de programas do SBT, porém, o número de talentos exibidos em tela nacional e que são da nossa cidade merecem ser reconhecidos. Já passaram pelo palco do SBT: os artistas do grupo Lex Luthor, e recentemente as vocalistas da banda Fator RG7 participaram do programa Máquina da Fama, o qual é comandado pela filha de Sílvio Santos, Patrícia Abravanel. Maura Batista e Kelly Crsy deram um show no palco, encenando as artistas Anitta e Valesca Popozuda. Confira agora um pouco mais sobre a trajetória destas duas cantoras.
Vinda de uma família em que o pai e o tio trabalham com musica, despertar o interesse por essa mesma área não foi muito difícil. Aos dois anos de idade, Maura Batista começou a mostrar seu talento. “Foi o meu pai que me lembrou desse fato, eu tinha uns dois anos e na banheira comecei a cantar - Atirei o pau no gato, então acho que já nasci querendo mexer com música”, afirma.
Com 15 anos, a cantora começou a se apresentar em bandas de baile, e desde então, procurou o aperfeiçoamento principalmente da voz. Atualmente, Maura está com uma das vocais da Banda Fator RG7. 
Sobre a apresentação no Máquina da Fama, a cantora diz que foi um desafio interpretar a artista Anitta. “A produção do programa entrou em contato com a responsável pela banda, a Ana Paula, e nos convidou, fui muito bem recebida no SBT. Ganhei em primeiro lugar, e claro fiquei muito feliz, tive muito pouco tempo para treinar e me parecer com a Anitta, ensaiei todos os seus gestos e inclusive, tive que modificar a minha voz, porque ela é carioca e eu mineira, essa parte foi bem difícil, mas consegui”, destaca Maura.
Segundo Maura a repercussão da apresentação foi uma grande surpresa. “Fique até assustada! Entrei no Facebook e tinha muitas pessoas de outros estados que me adicionaram para me elogiar, foi muito bom. Agradeço à nossa empresária, a toda a equipe da banda, que me apoiou em todos os momentos, à minha família e o meu namorado, além do Marcelo Boffat e a todos os demais profissionais do SBT”, concluí a cantora.

 

PROFISSIONALISMO

Interpretar a estrela do funk Valesca Popozuda é uma responsabilidade que Kelly soube encarar muito bem. “Ela tem muitos seguidores, me preocupei em não decepcioná-los, e claro não decepcionar a própria Valesca. Foi um desafio que gostei de fazer”, comenta a divinopolitana.
A cantora ficou em 4° lugar no programa. A experiência de poder representar o nome da banda que trabalhava, bem como a cidade em que reside, fez com que Kelly aprendesse lições importantes, uma delas é sentir-se mais segura. “É pressão o tempo todo, por isso acredito que aprendi a ficar mais segura”, afirma.
Também sobre a repercussão da apresentação, a artista diz estar surpresa com o carinho recebido dos divinopolitanos e de pessoas de outras regiões do Brasil. “Muitas pessoas estão elogiando, meus pais ficaram bastante emocionados e fazem questão de contar para todas as pessoas” acrescenta Kelly.
A paixão pela musica começou quando a artista ainda era uma criança, conforme nos contou, aos quatro anos de idade, Kelly iniciou sua carreira em apresentações durante festas de aniversário, o tempo passou e a cantora começou a apresentar seu trabalho também em festas de casamento, daí em diante a artista procurou especializar-se no segmento musical, e hoje é vocal da banda RG7.
“Agradeço primeiramente a Deus, à minha empresária Ana Paula, aos meus pais, amigos da banda e a toda produção do SBT”, encerra Kelly Crsy.

 

Crédito: Arquivo Pessoal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.