terça-feira, 26 de Maio de 2015 11:11h Atualizado em 26 de Maio de 2015 às 11:13h. Jotha Lee

Biblioteca Pública instala sistema de segurança para coibir furtos de livros

Biblioteca Pública instala sistema de segurança para coibir furtos de livros

A Biblioteca Pública Municipal Ataliba Lago de Divinópolis inaugura amanhã o seu Circuito Integrado de Segurança, instalado com recursos do Fundo Estadual de Cultura, através de parceria com a ONG Instituto Gravatá, que foi responsável pela elaboração e encaminhamento do projeto junto ao poder público estadual. O novo sistema já está em funcionamento e garante maior proteção e controle ao acervo.
De acordo com Eugênio Antero Guimarães, presidente do Instituo Gravatá, com a execução do projeto Restauração e Ampliação do acervo da Biblioteca Pública Municipal Ataliba Lago, aprovado no Fundo Estadual de Cultura, os benefícios serão de caráter permanente. “Essa etapa é considerada fundamental para a modernização e proteção do acervo com a instalação da segurança eletrônica, em especial com tecnologia eletromagnética ou de radio frequência”, explica.
De acordo com o presidente da ONG, o sistema de segurança foi escolhido “após minuciosa pesquisa em outras bibliotecas e acervos públicos”. O modelo escolhido consiste num sistema de Prevenção de furtos composto por duas antenas eletromagnéticas que acusam retiradas não autorizadas de materiais do acervo pelos usuários, além de colocação de fitas de detecção nos livros e outros itens da Biblioteca. “Essa etapa inclui ainda a instalação de ativador e desativador de fitas de detecção, assim como de câmeras e monitores de segurança para a Biblioteca”, revela Eugênio Guimarães.

 

TRÊS MIL
Com um acervo de 100 mil livros, a Biblioteca Pública Municipal Ataliba Lago atende cerca de mil pessoas ao dia e ao mês são emprestados cerca de três mil livros. Para Eugênio Guimarães o fortalecimento do Terceiro Setor (ONGs e entidades da sociedade civil) demonstra aumento do comprometimento da sociedade para com a cidadania, promovendo projetos de interesse público. “Foi assim com esse projeto que agora se torna realidade. O projeto teve início em 2012 com funcionários e técnicos da Biblioteca e do Instituto Gravatá que encaminharam a proposta ao edital daquele ano do Fundo Estadual de Cultura. Após concorrência, foi aprovado o valor de R$ 70 mil que foram administrados pela ONG e repassados a Secretaria Municipal de Cultura de Divinópolis”, conta.
Eugênio Guimarães reafirmou os propósitos de o Instituto Gravatá continuar atuando sem vínculo partidário. “Nossa missão é buscar soluções e parcerias para os problemas de interesse público. Não atuamos de maneira partidária, nosso foco é atuar sob a ótica da responsabilidade social superando o mero assistencialismo”, assegura
Para o secretário municipal de Cultura, Bernardo Rodrigues, o novo sistema de segurança passa a oferecer muitas vantagens à Biblioteca e aos usuários. “Facilita o acesso e a gente tem como impedir furtos de livros, porque acontece de pessoas que saem com livros sem fazer o procedimento formal de empréstimo. Esse novo sistema dá uma dinâmica melhor para o próprio funcionamento da Biblioteca além de mais segurança”, afirma.
No ano passado, a Biblioteca recebeu a doação de cerca de cinco mil livros, que pertenciam à Biblioteca dos Franciscanos. São obras raras, que até hoje ainda não foram disponibilizadas ao público. O novo sistema de segurança permitirá que isso aconteça, conforme explicou Bernardo Rodrigues. “Nossa intenção é fazer um inventário desses livros como patrimônio cultural do município e posteriormente poderemos até pensar no tombamento de algumas dessas obras pela raridade que representam. Com esse investimento em segurança a gente vai ter condição de colocar esse acervo à disposição com a segurança e o cuidado que o próprio acervo precisa. Em breve a gente já projeta algumas exposições para mostrarmos essas obras para que a população possa conhecê-las. Esses livros não serão emprestados, poderão ser consultados somente na própria biblioteca”, finalizou.

 

FIQUE SABENDO
O Instituto Gravatá foi constituído em 2008 e tem por finalidade, dentre outras, o desenvolvimento da cultura, a proteção e defesa do patrimônio cultural e do meio ambiente, e a realização de estudos e pesquisas, por meio da execução direta de projetos, programas ou planos de ação, bem como da prestação de serviços intermediários de apoio a outras organizações sem fins lucrativos e a órgãos do setor público que atuam em áreas afins.

 

Crédito: Jotha Lee

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.