quarta-feira, 26 de Fevereiro de 2014 04:57h Atualizado em 26 de Fevereiro de 2014 às 05:01h. Simião Castro

Bombeiros são treinados para atuar na barragem de Cajuru no carnaval

De acordo com tenente, Lago das Roseiras e Pedra do Calhau juntam cerca de 2 mil pessoas em feriados.

A equação é bem comum: carnaval mais calor é igual a praia e sossego – ao menos para quem não quer cair na festa. Mas Minas não tem praia, então a solução para amenizar as altas temperaturas costuma ser procurar rios e lagos, pelo menos nos arredores de Divinópolis. Mas o cuidado com a segurança nesses lugares é fundamental.
Pensando nesse hábito divinopolitano, e dando continuidade ao trabalho feito todos os anos, o Corpo de Bombeiros finaliza a preparação para física e técnica da estratégia de atuação no Lago das Roseiras, às margens da barragem de Carmo do Cajuru. De acordo com o tenente do Corpo de Bombeiros, Jonas Braga Linke, o número de pessoas que frequentam o local aumenta muito nessa época do ano.
“Na área do 10° Batalhão, em Divinópolis, especificamente, a demanda maior é aqui. No Lago das Roseiras e Pedra do Calhau a concentração chega às vezes a até dois mil banhistas”, explica o tenente. Ele conta que as visitas anteriores aos locais são importantes para orientar a equipe dos bombeiros que vai atuar. Eles observam o lugar, explicam o contexto geral da área e do público que vai para lá, e falam principalmente sobre abordagem preventiva.

 

SUBTÍTULO
Prevenção, aliás, é a palavra chave, e é nesse sentido que o destacamento espera agir mais efetivamente. Serão cerca de 25 bombeiros orientando os banhistas e de prontidão para salvamento, caso seja necessário. Para o suporte deles serão instalados postos de apoio, com duas embarcações cada, além de materiais de primeiros socorros e salvamento, como cordas e flutuadores.
Haverá ainda bóias demarcando as áreas mais seguras para crianças, próximas aos postos, e até material de mergulho. “No caso de um afogado que submergir, a gente já tem a equipe aqui para fazer o mergulho imediatamente para encontrar o corpo”, diz o tenente Jonas. Apesar disso, a expectativa é positiva. “Tem dado muito certo nos anos anteriores. A gente não tem registros de ter que buscar nenhum afogado aqui na área que tem bombeiros.”
Para reforçar ainda mais o efetivo no local, a presença de outros órgãos como as polícias Militar e Ambiental está garantida. Inclusive, parte das ações e o trabalho coordenado entre as forças de segurança foram acertadas no último dia 21, em reunião com a Associação dos Moradores do Lago das Roseiras.

 

Não pode esquecer
As dicas dos bombeiros são padronizadas, mas é sempre bom lembrar porque no fim das contas, “o mais importante de tudo é a consciência dos populares”, ressalta o tenente. Isso porque está nas mãos de cada um a maior parte dos cuidados para evitar acidentes. Antes de viajar, por exemplo, é fundamental planejar bem o trajeto e as paradas e fazer uma revisão detalhada em seu veículo.
É normal que as estradas estejam cheias, então paciência é um item que tem que estar sempre à mão. Respeitar os limites de velocidade, usar sempre o cinto de segurança e não fazer ultrapassagens em locais proibidos evita muitos acidentes. E, é claro, não dirigir depois de beber. A regra também vale nos balneários. É melhor evitar entrar na água depois de consumir bebidas alcoólicas.
“A recomendação para as famílias é que procurem áreas que tenham a presença dos bombeiros”, aconselha Jonas. Assim dá para aproveitar com mais tranquilidade, mas não com menos cuidado. O tenente orienta a deixar as crianças bem perto das vistas, não fazer saltos perigosos nem em áreas desconhecidas e também não entrar na água sozinho ou em locais isolados.
Se vir uma pessoa se afogando, tente lançar um objeto à vítima, para auxiliá-la na flutuação, mas não faça contato direto. No desespero para se salvar ela pode acabar afogando quem tentar ajudar. Mas chame os bombeiros em seguida.

 

Embarcações
Por fim os bombeiros alertam para o perigo de pilotar barcos e motos aquáticas irregularmente. “É importante destacar a importância de ter a habilitação para conduzir moto aquática, [é necessário fazer] um curso específico. Tem que ter a documentação da embarcação em dia também”, lembra Jonas.
No caso de conduta incorreta, explica o bombeiro, quem autua e encaminha o veículo e a pessoa à autoridade policial é a própria Polícia Militar. Mas os bombeiros têm a atribuição de fazer a abordagem na água. Para conduzir qualquer tipo de embarcação também é preciso ser maior de idade, usar colete salva vidas, respeitar a lotação máxima, seja em lancha, moto aquática, barco, bote ou outros.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.