terça-feira, 29 de Dezembro de 2015 08:47h Atualizado em 29 de Dezembro de 2015 às 08:49h. Pollyanna Martins

Buracos tomam conta de ruas que dão acesso à UPA 24 h

Na Rua João Ferreira de Morais e na Avenida Orion, os buracos se transformaram em pequenas piscinas naturais

Ir à Unidade de Pronto Atendimento Padre Roberto (UPA 24h) virou um verdadeiro caos, por causa dos buracos que tomaram conta das ruas que dão acesso à unidade. O Gazeta do Oeste já mostrou a situação há quase três meses, e nada mudou. Os únicos meios de chegar até à UPA são pelas ruas Goiás e João Ferreira de Morais, e Avenida Orion, e ambas estão danificadas. Na Avenida Orion e na Rua João Ferreira de Morais, no bairro Maria Helena, os buracos chegaram a formar uma espécie de piscina natural.
Nossa reportagem esteve no local, e fez vários flagras de motoristas que invadem a contramão para desviar das “piscinas naturais”. O churrasqueiro, Edson Gonçalves, mora no bairro Sagrada Família e passa pelas ruas quatro vezes ao dia e conta que o problema surgiu há aproximadamente 20 dias. Segundo Edson, as chuvas só agravaram a situação e moradores tiveram que colocar um galho de árvore em um buraco na Rua João Ferreira de Morais. “Eu passo aqui quatro vezes ao dia, e os motoristas sempre têm que se arriscar para desviar desse buraco enorme que está aqui, e até hoje não foi feito nada”, reclama.
O motorista reclama ainda da manutenção que tem que dar em seu veículo devido à má conservação das vias. Edson reforça que os motoristas que vêm a partir da rotatória do bairro Maria Helena sentido à Rua Bom Sucesso penam muito. “Os buracos viraram lagoas. A gente precisa de uma solução, porque o carro não tem suspensão mais, balanceamento e alinhamento são uma vez por mês, então está complicada a situação. Quem faz esse trajeto constantemente sofre muito. Tem que fazer manutenção sempre no carro, e não está barato”, ressalta.

 

UPA
O caminho que Edson Gonçalves faz quatro vezes ao dia é o mesmo utilizado por várias unidades de Resgate do Corpo de Bombeiro de Divinópolis para levar pacientes à UPA. Outro caminho alternativo, que também está com buracos, é o da Rua Goiás, pelo bairro Porto Velho. Em setembro deste ano, o Gazeta do Oeste mostrou o drama que o técnico de serpentário, Policarpo Nunes, viveu quando caiu em seu trabalho e bateu o cóccix (osso da parte inferior da coluna vertebral) no chão, prejudicando a coluna. “Não estava aguentando andar e chamei o resgate. Na hora que chegou no [bairro] Porto Velho, aquele asfalto cheio de buracos, [a viatura] balançando e eu só gritando. Senti muita dor. Realmente o asfalto para lá está ruim. Eles precisam reformar”, reclama.
Na época, a Prefeitura, por meio da sua Assessoria de Imprensa, disse que o município considera que as principais vias de acesso à UPA – as ruas Bom Sucesso e Jésus Jota – estão em bom estado de conservação. E informou que as vias secundárias, que também dão acesso à Unidade, seriam analisadas ainda na semana pela Secretaria Municipal de Operações Urbanas. Em entrevista ao Gazeta do Oeste, em agosto deste ano, o prefeito de Divinópolis, Vladimir Azevedo, confirmou a necessidade de contenção de gastos sem, contudo, afetar a estrutura da cidade. De acordo com o prefeito, a máquina deveria continuar funcionando com a conservação de ruas, e os serviços básicos à população (saúde e educação).

 

PREFEITURA
Nossa reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa da Prefeitura de Divinópolis, mas até o fechamento desta edição, o órgão não se posicionou sobre o assunto.

 

Créditos: Pollyanna Martins

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.