sábado, 20 de Agosto de 2016 11:00h Pollyanna Martins

Caixa disponibiliza R$ 20 milhões para o Construcard em Divinópolis

Além de Divinópolis, Carmo do Cajuru, Arcos, Pará de Minas, Itaúna, Oliveira, Piumhi e Formiga foram contemplados com a verba

POLLYANNA MARTINS
pollyanna.martins@gazetaoeste.com.br

 

A Caixa Econômica Federal (CEF) disponibilizou no início deste mês R$ 7 bilhões para o Construcard - linha de crédito para financiamento de material de construção – e, deste montante, R$ 20 milhões são para Divinópolis. De acordo com a Caixa Econômica Federal, o produto recebeu uma série de melhorias para dar agilidade e segurança à operação, e qualidade no atendimento prestado a clientes e lojistas. Entre as melhorias, estão: tecnologia de cartão com chip, serviço de SMS e aplicativo de compras.

Conforme o superintendente regional da CEF, Marcelo Bonfim, como a economia brasileira deu sinais de melhorias, principalmente no segmento de materiais de construção, o banco liberou os R$ 7 bilhões para aquecer o mercado. Marcelo ressalta que os R$ 20 milhões liberados para Divinópolis irão fomentar a economia do município e beneficiar clientes e empresários. “Vai aquecer o negócio local, a economia local, e o dinheiro vai circular na cidade. O cliente compra o produto à vista, sai dos juros do crediário, caso o produto fosse parcelado, barganha um desconto, e o empresário recebe o produto também à vista”, frisa. Para ter acesso ao financiamento, o cliente precisar ter apenas uma conta na Caixa Econômica Federal. Segundo o superintendente regional, quem já é cliente do banco e possui conta corrente terá algumas vantagens, como prazo. “Quem já é cliente da Caixa terá 60 meses, ou seja, cinco anos para pagar este financiamento. Quando a conta é corrente, a taxa de juros também fica melhor”, explica.

Em Divinópolis, cinco lojas estão cadastradas no programa da CEF. O superintendente regional frisa que o produto tem como objetivo fazer com a população tenha acesso ao material de construção de uma forma mais fácil, além de aquecer a construção civil. De acordo com Marcelo, o valor mínimo liberado do produto é de R$ 1 mil e as condições gerais para o financiamento e o prazo de até 60 meses e uma carência de seis meses. Quem quiser adquirir o financiamento, e for correntista do banco, deve ir até uma agência da Caixa Econômica e solicitar a análise de risco para saber qual o limite de crédito liberado para fazer as compras nas lojas cadastradas. “Se o cliente tiver R$ 5 mil de crédito liberado, a Caixa entrega para ele um cartão na hora, não precisa esperar nada. Ele [o cliente] vai ao lojista cadastrado e paga à vista pelo produto”, informa.

 

UTILIZAÇÃO DO CRÉDITO

 

O Construcard abrange ainda outros produtos, como piscinas, armários embutidos, elevadores, aquecedor solar, e geradores de energia. O superintendente regional enfatiza que o dinheiro do programa não pode ser utilizado para outros fins, a não ser a compra de materiais de construção e produtos cadastrados no Construcard. Segundo Marcelo, a Caixa Econômica fiscaliza as notas fiscais das lojas cadastradas no programa, para saber se o crédito foi utilizado para a compra de materiais de construção. “O cliente não pode usar o crédito para pagar dívida, ele tem que ser empregado na compra do material de construção”, reforça.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.