quarta-feira, 30 de Abril de 2014 04:59h Atualizado em 30 de Abril de 2014 às 05:06h. Pollyanna Martins

Caixa Econômica Federal apresenta nova estrutura de atendimento para as prefeituras

Duas gerências serão encarregadas de atender os municípios.

A Caixa Econômica Federal apresentou na tarde de ontem, a nova estrutura de atendimento do banco aos municípios. O evento foi realizado na Fiemg, e contou com a presença de alguns prefeitos e representantes dos 103 municípios vinculados à Superintendência Regional do banco, que tem sede em Divinópolis.
A estrutura de atendimento foi reformulada em todo país, e Divinópolis encerra os seminários realizados pelo Brasil. Com o crescimento no volume de negócios entre Caixa e municípios foi feita a divisão dos atendimentos. Uma parte atenderá habitação e outra atenderá o desenvolvimento urbano.
“A parceria da Caixa com os municípios existe há longa data. O seminário tem dois objetivos: soluções e oportunidades, para trazer aquilo que já existe e talvez o gestor e sua equipe não conheçam, e para dizer que a Caixa criou duas estruturas onde antes era atendido somente por uma gerência”, explica o superintendente regional da Caixa, Constantino Dias Neto.
A nova estrutura contará com uma gerência de governo que cuidará de repasses e financiamento, e uma gerência de habitação, que será encarregada exclusivamente dos programas habitacionais. “A estrutura já está toda montada, as duas gerências já estão funcionando aqui em Divinópolis, hoje estamos comunicando as mudanças. Não é uma promessa é uma realidade já em funcionamento”, ressalta.

 

DIVINÓPOLIS
O novo modelo de atendimento pretende alavancar o desenvolvimento municipal e regional em áreas como saneamento, infraestrutura urbana, aquisições de equipamentos, soluções de gestão e soluções para os gestores e empregados municipais. O prefeito de Divinópolis, Vladimir Azevedo esteve no seminário, e disse que espera um retorno positivo com a implantação da nova estrutura. “A nossa expectativa é que haja uma desburocratização, uma facilitação de aplicação de recursos. Essa descentralização é positiva para a área de governo e de habitação. Isso vai refletir a população com a velocidade maior na aplicação dos recursos. Muitas vezes uma obra não anda ou um recurso não vem e essa falta de articulação dificulta o processo”, finaliza.

 

Crédito da foto : Pollyanna Martins

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.