sexta-feira, 23 de Novembro de 2012 04:33h Carla Mariela

Câmara Municipal realiza 1º Seminário da pessoa Surda Cega de Divinópolis

A Casa Legislativa de Divinópolis realizará hoje às 18hs30min, no plenário Dr. Zózimo Ramos Couto,  um encontro entre os palestrantes Ernesto Bento Silva, coordenador de Surdo Cego do Estado de Minas Gerais, Juliano Oliveira Salomon que é presidente da Associação dos Profissionais Intérpretes de Minas Gerais (Apilsemg) e a população divinopolitana.

 


De acordo com a coordenadora da Comunicação Especial da Câmara Municipal, Andréia Martins, o principal objetivo do Seminário é apresentar à identidade da pessoa surda cega e sua importância na sociedade. “O objetivo desse 1º Seminário é abordar sobre a identidade da pessoa surda cega, é focar as capacidades e as suas potencialidades. As vezes as pessoas, elas acham que devido a pessoa ter as duas deficiências, ela não é uma pessoa que vive. Eu ouço muito as pessoas falarem assim: fulano vegeta. Elas se perguntam como uma pessoa vive não ouvindo e não vendo e a realidade é outra, eles vivem bem, o seminário vai está mostrando isso”, afirmou Andréia.

 


Em entrevista, ela ainda ressaltou que devido à questão dessa época de final de ano, Carlos Jorge e Cláudia Sofia, que são um casal surdo cego, não poderão comparecer. “Gostaríamos que o casal estivesse presente porque os dois são surdos cegos e se comunicam, ela se comunica através do tadoma, que é um meio de comunicação e ele é através da língua de sinais tátil e os dois vivem a vida de casados em casa e como não poderão comparecer, estaremos passando o vídeo deles para as pessoas terem o conhecimento. Nós vamos ter o Ernesto Bento de Belo Horizonte, ele é o coordenador das pessoas surdas cegas de Minas e vai falar da vida dele, a experiência dele”, destacou.

 


Andréia Martins esclareceu que o seminário vai contar também com um guia intérprete, que vai falar sobre como é o trabalho da pessoa guia intérprete porque quando a pessoa é surda quem o acompanha é o profissional intérprete e quando a pessoa tem as duas deficiências, é surda e cega, o profissional que acompanha é o guia intérprete porque ele vai guiar esse surdo cego, ele fica com ele o tempo todo, desenvolvendo o trabalho de facilitar a inclusão e integração dessa pessoa socialmente.

 


Outro fator que será debatido no seminário são as diferentes formas de comunicação com a pessoa surda cega. O objetivo é conscientizar a população das capacidades e potencialidades dessas pessoas que mesmo sendo surdas e cegas desenvolvem um bom trabalho na sociedade.

 


Ao ser questionada se é a primeira vez que ocorre um seminário na Casa Legislativa sobre as duas deficiências juntas, Andréia Martins, disse que fez uma pesquisa e levantamento, e que em Divinópolis nunca se teve seminário que envolvesse essa questão.

 


A função do seminário é esclarecer dúvidas “Através do seminário, as pessoas podem perguntar, intervir, o que às vezes só a palestra isolada não dá essa oportunidade. Então o seminário é realmente para as pessoas participarem. Eu tenho certeza que vai ser muito enriquecedor”.

 

Andréia Martins frisou que qualquer pessoa pode participar, mas pediu que as pessoas enviem seus nomes por e-mail e o telefone. “As pessoas podem mandar para o e-mail da comunicação especial que é comesp@camaradiv.mg.gov.br, para pegar o certificado e entender como participar do Seminário, mas todos podem participar sim”, finalizou.

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.