sábado, 18 de Abril de 2015 04:41h Pollyanna Martins

Campanha de vacinação contra a gripe começa dia 4 de maio

Profissionais das 33 salas de vacinação já foram capacitados

A Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) anunciou na tarde de ontem a data do início da campanha contra a gripe, que será de 4 a 22 de maio. O período foi estipulado pelo Ministério da Saúde (MS) e a meta do município é vacinar cerca de 50 mil pessoas.
Entre os grupos prioritários estão os de idosos com mais de 60 anos, crianças de seis meses a menores de cinco anos, gestantes de qualquer idade gestacional, mulheres com até 45 dias de pós-parto, trabalhadores de saúde que atuam em locais de referência para atendimento aos casos de influenza e portadores de doenças crônicas. Para atender ao público alvo da campanha, profissionais que vão atender nas 33 salas de vacinação foram capacitados.
Segundo a referência técnica em imunização da Semusa, Marcela Machado, a capacitação teve como objetivo colocar a equipe a par das novas estratégias. “Na capacitação discutimos com os responsáveis as informações que vieram do Ministério da Saúde relacionadas ao período em que a campanha vai ocorrer e qual é o público alvo a ser atingindo por ela. Além de serem tratadas, também, questões técnicas da vacina e a logística da campanha”, explica.
No dia 9 de maio será realizado o dia “D” da campanha em todo Brasil. Para isso, estarão funcionando as Unidades de Saúde Básica (UBS) dos bairros Ipiranga, São José, Danilo Passos, Bom Pastor, Afonso Pena, Niterói, Centro e Itaí, além do Centro Social Urbano (CSU). Nestas unidades, a vacinação no Dia “D” acontecerá das 8h às 17h. Nos demais dias todas as outras unidades vacinarão normalmente o público alvo desta campanha no horário de funcionamento.

EFEITOS COLATERIAS
De acordo com o Ministério da Saúde, a vacina não tem nenhum efeito colateral. Em alguns casos podem ocorrer manifestações de dor no local da injeção ou endurecimento. Conforme Marcela, no último ano a campanha atingiu a meta mínima estipulada pelo MS em todos os grupos alvos de vacinação, porém será necessário focar em outros.
“Claro que ainda há grupos que precisam ser melhor trabalhados para que se tenha coberturas mais homogêneas anualmente, como é o caso de idosos, crianças e gestantes. De uma forma geral a cobertura vacinal feita na cidade atende, mas precisamos, a cada ano, melhorar”, ressalta Marcela.

 

 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.