quinta-feira, 30 de Abril de 2015 10:35h Atualizado em 4 de Maio de 2015 às 14:07h.

Campanha de vacinação contra Influenza começa semana que vem

A campanha de vacinação do Ministério da Saúde (MS) contra a Influenza começa em todo território nacional no dia 4 de maio

No entanto, em Divinópolis e em outros municípios que fazem parte da Superintendência Regional de Saúde de Divinópolis (SRS), as vacinas vão chegar aos postos do Programa de Saúde da Família (PSFs) a partir do dia 6.  De acordo com o Ministério da Saúde, houve um atraso na fabricação da vacina, o que implica em um atraso na entrega dos frascos de imunização para os municípios.

Segundo a referência de Imunização da SRS, Ana Camila Neves Morais, no dia 9 todas as unidades de saúde estarão no “dia D” de imunização. Devem ser vacinados crianças de seis meses a menores de cinco anos de idade, gestantes, puérperas – ou seja, mulheres que tem até 45 dias pós parto – trabalhadores da saúde, pessoas com 60 anos de idade ou mais, população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional, além de pessoas portadoras de doenças crônicas e população indígena.

Conforme Ana Camila, a meta de imunização preconizada pelo MS é de 80% da população. Em todo o Estado a meta é imunizar 4.904.622 pessoas. “A população global em todos os grupos alvos da campanha, somando todos os municípios que integram a SRS Divinópolis, é de mais de 273 mil pessoas. Mas a nossa meta é alcançar 218.500 pessoas, que perfazem os 80% do global que temos”, explica.

A campanha de imunização vai até o dia 22, mas é de extrema importância que a população não deixe para se vacinar no último dia, ou até mesmo fora do prazo. “Depois que a campanha acaba, geralmente ainda fica nos postos uma sobra de frascos da dose da vacina. Mas a pessoa que deixar para ir se imunizar depois que a campanha acabar, correrá o risco de não encontrar mais a vacina disponível”, alerta Ana Camila.

Ao contrário do que algumas pessoas julgam, a vacina não propicia a gripe. Segundo a referência de imunização, com a vacina, o vírus da gripe fica inativado no corpo. “É como se esse vírus ficasse dormindo. Então, por exemplo, se a pessoa apresentar uma gripe depois de ter sido vacinada, é porque ela já estava começando um processo gripal. A vacina não leva ninguém a gripe”, esclarece.

 

CAPACITAÇÃO

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), por meio da SRS, promoveu ontem um encontro para orientação dos profissionais de saúde dos diversos municípios da região Centro-Oeste que compõem a Regional de Divinópolis. A ação teve como objetivo capacitar os coordenadores de imunização das 54 cidades sobre os procedimentos de aplicação da vacina, além de questões operacionais para o registro das doses.

 

SAIBA MAIS

Conforme informações contidas no portal online do Ministério da Saúde, os vírus influenza são transmitidos facilmente por aerossóis produzidos por pessoas infectadas ao tossir ou espirrar. Existem três tipos de vírus influenza: A, B e C. O vírus influenza C causa apenas infecções respiratórias brandas, não possui impacto na saúde pública e não está relacionado com epidemias. O vírus influenza A e B são responsáveis por epidemias sazonais, sendo o vírus influenza A, responsável pelas grandes pandemias.

Os vírus influenza A são ainda classificados em subtipos, de acordo com as proteínas de superfície, hemaglutinina (HA ou H) e neuraminidase (NA ou N). Dentre os subtipos de vírus influenza A, os subtipos A (H1N1) e A (H3N2) circulam atualmente em humanos. Alguns vírus influenza A de origem aviária também podem infectar humanos causando doença grave, como no caso do A (H7N9).

Algumas pessoas, principalmente idosos, crianças novas, gestantes e pessoas com alguma comorbidade, possuem um risco maior de desenvolver complicações. A melhor maneira se prevenir contra a influenza sazonal é se vacinar todo ano.

 

 

Crédito: Mariana Gonçalves

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.