terça-feira, 6 de Outubro de 2015 09:34h Atualizado em 6 de Outubro de 2015 às 09:37h. Mariana Gonçalves

Campanha social é lançada em prol da Vila Vicentina Padre Libério

“Como será o amanhã” esse é o slogan idealizado para a campanha em prol da Vila Vicentina Padre Libério – Obras assistências São Vicente de Paulo

A crise financeira vivenciada atualmente pela instituição, por pouco não colocou fim aos serviços sociais prestados por ela em Divinópolis, e para que isso não se concretize, o grupo Jaime Martins, por meio desta campanha, pede ajuda de toda a população para salvar a Vila.
A campanha foi oficialmente lançada ontem, durante uma solenidade no memorial Jaime Martins.
Cabe destacar que essa é uma mobilização apartidária, o intuito é angariar fundos para a execução de obras de manutenção e acessibilidade de todos os prédios que compõem a Vila, adequando-os às normas exigidas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Foi aberta uma conta bancária na Caixa Econômica Federal, que será usada unicamente para receber as doações, a população pode contribuir com qualquer valor. Os dados para depósito são: Agência 0113, Operação 003, Conta Corrente 4814-2.
Conforme explica a coordenadora da campanha, Marisa Martins, foi montado um grupo de pessoas voluntárias, as quais estão trabalhando dentro da instituição, com isso, realizou-se um levantamento das necessidades e, principalmente, uma verificação das demandas de maior urgência no local.
Além disso, está sendo estudada a documentação da instituição para que a mesma seja regularizada e fique apta a receber possíveis recursos advindos das esferas municipal, estadual e federal. Porém essa é uma ação que demanda tempo, por isso foram definidas duas frentes de trabalho para a recuperação da instituição, com ações a curto, médio e longo prazo.
“Nesse primeiro momento, já iniciamos as obras de reparo na infraestrutura, reparos emergênciais, com aporte que a minha mãe, Maria Martins, disponibilizou, junto com alguns doadores que eu os chamo de 'doadores de primeira hora', são pessoas que confiaram absolutamente em minha pessoa, quando eu os convoquei, de imediato me mandaram as doações. Essas doações foram de divinopolitanos que hoje não residem mais na cidade, e também parceiros e devotos do Padre Libério de Nova Serrana”, acrescenta Marisa.

ADESÃO

Mesmo em tão pouco tempo de trabalho, a coordenadora da campanha salienta que já tem pessoas ligando na Vila oferecendo ajuda, o que demonstra que a população está sensibilizada com a causa. “As pessoas começaram a ver a nossa movimentação na Vila Vicentina e já estão ligando lá, perguntando como podem ajudar, e isso é muito bom, porque como temos uma equipe nossa lá dentro, estamos conseguindo canalizar objetivamente essas doações para as demandas de maior urgência, por exemplo, estamos fazendo a troca de telhados quebrados, reparando problemas de infiltração, melhorando o espaço interno, fazendo uma nova pintura nas casas, e com isso, já temos pessoas nos ajudando, doando os materiais que, naquele momento, estamos precisando mais. A sociedade é muito solidária e o nosso papel aqui é mediar isso, essa é uma causa de todos e que merece atenção”, destaca.
Para executar todas as obras emergenciais colocadas no projeto, durante essa primeira fase da campanha, o grupo estima precisar de um recurso na ordem de 100 a 120 mil reais. “Esse dinheiro é que precisamos levantar até o fim do ano para fecharmos os reparos emergenciais. Já o segundo momento da campanha, visa atender às regulamentações da Anvisa, que são obras de adequação e melhorias mais complexas, também vamos precisar que as doações continuem. Não é que vamos fazer a expansão do número de edifícios na Vila não, é porque existe algumas casas fechadas que poderiam abrigar mais idosos e devido às suas péssimas condições, não tem como. Hoje, a Vila atende 81 idosos, mas ela tem capacidade para abrigar 120 pessoas, e queremos fazer isso, mas proporcionando a eles qualidade de vida”, afirma Marisa.


SUSTENTABILIDADE

Paralelo a estes serviços, a campanha também trabalha com ações que visam manter a sustentabilidade da Vila. “Para que a gente não precise no ano que vem, por exemplo, fazer outro chamamento emergencial à população, elaboramos o Cartão Sócio Protetor da Vila Vicentina, onde as pessoas participam da seguinte maneira: os doadores farão um cadastro e nesse cadastro, eles estão assumindo o compromisso de uma doação mensal, que pode ser nos valores de R$10, R$20, R$30 ou mais. Estamos construindo um site para a Vila, que estará funcionando em breve e nesse site, vai ter o cadastro que os doadores deverão preencher, logo que for feita a primeira doação, a pessoa já vai receber o cartão. A doação poderá ser feita via boleto bancário ou débito automático em conta, em breve teremos mais informações sobre esse cartão. Gostaria de chamar todos os segmentos da sociedade, desde o meio empresarial à população mesmo, de forma geral, que nos ajude com essa campanha”, diz Marisa.
O telefone da Vila, para maiores informações sobre o cartão, enquanto o site não fica pronto, é: 37 – 3221 3157. “Quando eu fui falar para minha mãe que eu estava ajudando a Vila, ela me disse o seguinte: ‘Minha filha ajuda mesmo! Ajuda Mesmo! Sabe que quando eu e seu pai éramos recém-casados, antes de mudar para Divinópolis, moramos em Nova Serrana e lá, tínhamos uma única casa. Quando mudamos para Divinópolis seu pai doou essa casa, que era a única que nós tínhamos, para os vicentinos de Nova Serrana, e sabe de uma coisa? Isso nunca nos fez falta’. Então é movida por esse espírito de que tudo que você entrega com o coração, as doações que você faz com o coração, acabam voltando para você multiplicado em diversas outras realizações. Eu sei que a economia está ruim, mas eu penso que, se cada um fizer nem que seja uma pequena contribuição, isso será de grande valia para nós”, encerra Marisa.

 

Créditos: Divulgação

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.