sábado, 11 de Agosto de 2012 09:29h Marina Alves

Carros estacionados irregularmente na Rua Pitangui

A reportagem da Gazeta do Oeste flagrou, nesta semana, carros de agências estacionados na Rua Pitangui. Os carros, que estão a venda, estão sendo colocados na rua para serem comercializados, o que é irregular.

A reportagem da Gazeta do  Oeste flagrou, nesta semana, carros de agências estacionados na Rua Pitangui. Os carros, que estão a venda, estão sendo colocados na rua para serem comercializados, o que é irregular.

 


De acordo com o Secretário de Transito e Transportes, Júlio Valério, “Alguns empresários de forma egoísta ou de forma arbitrária vem utilizando o espaço público, que é o do estacionamento, que acaba sendo confundido com objeto da via para vender mercadoria, porque o veículo, quando está em uso, a via é o local adequado que ele pode circular. Mas a partir de quando ele passa a ser um objeto exposto a venda, seria como uma geladeira, ou um fogão, e esse empresário, que em meu entendimento é um mau empresário, está usando esse espaço de forma irregular”, afirma.

 


Júlio Valério ainda afirmou que já houveram problemas como este na cidade, recentemente: “Vale a pena ressaltar que Divinópolis já teve esse tipo de problema há algum tempo atrás, na região central, e que a Prefeitura praticamente acabou com esse tipo de comportamento. A gente percebe que em algumas regiões alguns empresários que não tem consciência pública, acabam insistindo em cometer essa arbitrariedade, e que traz um prejuízo muito grande a sociedade”.

 


De acordo com o Secretário, a exposição da mercadoria prejudica a fluidez do transito no local: “Expondo aquela mercadoria na via pública, deixa que as pessoas que necessitam daquele espaço para estacionar, acessar o comércio, sair das suas residências, ou no caso da Pitangui, para utilizar aquela área para o seu lazer, ficam sem essas vagas”.
Recentemente a Rua passou por mudanças em seu trânsito. Mas Júlio ressalta que as mudanças da via foram positivas: “A implantação da ciclovia teve um foco. A Prefeitura, através da Settrans, nada mais fez que investir numa organização que já estava ocorrendo. É claro que todo projeto viário tem ganhos e perdas, mas nesse caso desse projeto os ganhos foram mais do que as perdas”, conta.

 


“O que ocorre naquele local ainda é uma restrição de estacionamento por causa da ciclovia, e tem alguns empresários que insistem em ter suas mercadorias, ou seja, seus veículos ali, diminuindo cada vez mais as vagas”, explica o Secretário.

 


Júlio Valério alerta ainda aos empresários sobre a legislação do código de posturas, que proíbe tal prática: “Expor mercadoria em via pública é proibido pelo código de postura, e acho que não cabe nenhuma autorização, mesmo que provisória. A rua é pública, e ela não deve ser usada por interesses particulares”.

 


Porém, o Secretário ainda ressalta que nestes casos, o órgão responsável pela fiscalização é a Secretaria de Meio Ambiente do Município: “Essa punição não cabe a Secretaria de Trânsito, porque a exposição de objetos na via cabe a fiscalização de postura, que é ligada a Secretaria de Meio Ambiente, e nós agora tomamos ciência deste fato, e já acionamos a Secretaria, para que proceda na região da Rua Pitangui, numa fiscalização mais ostensiva, para que possa inibir esse tipo de delito”.
Por fim, Júlio lembra que os morados que virem este tipo de situação podem denunciar: “O morador deve procurar a Secretaria de Meio Ambiente através da Secretaria de Cadastro, o qual está o setor de fiscalização de postura, e solicitar a presença desses fiscais para inibir esse tipo de ação”

 

 

Fiscalização:

 

 

O Secretário de Meio Ambiente, Pedro Coelho, afirmou que há dois anos aconteceu a mesma situação, e que foram feitas ações educativas junto aos motoristas, para que eles denunciem e fiquem atentos a este delito. Com esta nova denúncia, o secretário informou que ainda na tarde de ontem seriam enviados fiscais para o local.

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.