sábado, 18 de Junho de 2016 09:05h Prefeitura de Divinópolis

Casa de Acolhimento e Caps AD comemoram aniversário com avanços

A Prefeitura de Divinópolis comemora nesta segunda-feira (17/05), às 14h, o 2º aniversário da Casa de Acolhimento e o primeiro ano do Centro de Assistência Psicossocial Álcool e Drogas (Caps AD). O evento faz parte das comemorações dos 104 anos da cidade

Criada em 2014, a Casa de Acolhimento é gerenciada pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Semds) e é destinada para pessoas em situação de rua. São 25 vagas com equipe técnica composta por uma coordenadora, um assistente social, um psicólogo, um auxiliar de serviços gerais, um porteiro e 10 monitores.

“O espaço oferece acolhimento, convivência, alimentação, pouso, guarda de pertences e articulação intersetorial com a sociedade e outros serviços públicos, visando à promoção e a integração social dos mesmos”, afirmou o secretário Municipal de Desenvolvimento Social, Paulo dos Prazeres.

 

 

 

O espaço articula dois serviços específicos: o serviço do migrante e o serviço de abordagem. O serviço do migrante oferta retorno de pessoas desprotegidas socialmente e em trânsito por Divinópolis as suas cidades de origem. O serviço de abordagem é responsável pela localização, contato, vínculo e encaminhamento da população em situação de rua para a casa de acolhimento e outros serviços que possam recebê-los, inclusive os de saúde, quando possuem algum agravo.

“A estrutura da casa de acolhimento, a competência da sua equipe, o apoio da gestão municipal e a parceria com a Adefom produziu um efeito de consolidação do acompanhamento da população em situação de rua em Divinópolis. Nesse ano, já foram abordadas 125 pessoas, dessas 20 retornaram para a rua, mostrando a eficácia dos serviços e o acerto na criação do espaço e do seu financiamento”, destacou.

 

 

 

Caps

O Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (Caps AD) foi criado com a finalidade de assistir pessoas que sofrem pelo uso e abuso de álcool. O espaço trabalha políticas públicas que colaborem com a saúde das pessoas assistidas e também estimulam o resgate da cidadania, por meio da melhora da alta estima.

Neste primeiro ano de existência, aproximadamente, 800 pessoas foram cadastradas pelo Caps AD. “Em media, 45 pacientes frequentam o Caps AD diariamente dentro de um projeto terapêutico, participando de oficinas, grupos e atividades de reinserção em seguimentos diversos, tais como reinserção social, laboral, reduzindo os danos que habitualmente sofrem bem como seus familiares, explica o coordenador do Caps AD III, Antônio Cristiano Barreto.

 

 

 

No espaço, os assistidos contam com o auxílio de uma equipe interdisciplinar composta por assistentes sociais, enfermeiros, técnicos em enfermagem, fisioterapeuta, médico clinico geral e médico psiquiatra, psicólogos, terapeutas ocupacionais, além da equipe de apoio.

A porta de entrada aos serviços prestados pelo Caps AD é feito pelas Unidades de Saúde na Atenção Primária. O atendimento funciona 24 horas por dia durante todos os dias do ano.

No Caps AD é oferecido o atendimento individual (medicamentoso, psicoterápico, de orientação, entre outros); atendimento em grupos (psicoterapia, grupo operativo, atividades de suporte social, entre outras); atendimento em oficinas terapêuticas executadas por profissional de nível superior ou nível médio; atendimento à família e atividades comunitárias enfocando a integração do dependente químico na comunidade e sua inserção familiar e social.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.