quarta-feira, 9 de Março de 2016 11:22h Prefeitura Divinópolis

Casos notificados de dengue somam 1.633

A Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), por meio da Diretoria de Vigilância em Saúde, acaba de divulgar o boletim de monitoramento dos casos de dengue na cidade desta semana

De acordo com os dados apurados, o número de casos notificados como suspeitos chegam a 1.633. Em 2015 foram registrados 130 casos no mesmo período de tempo, um aumento, portanto, de mais de 1000%.

Já os casos confirmados de dengue totalizam 136. Mas de acordo com o Setor de Epidemiologia da Semusa, responsável por inserir os dados no Sistema de Informações de Agravos de Notifação-Sinan, este número é bem maior já que existem dezenas de casos que aguardam confirmação.

 

 

 

O momento é delicado e a Semusa reforça a necessidade de todos colaborarem e eliminar de dentro das residências os possíveis criadouros do mosquito Aedes aegyti, causador da dengue, febre zika e chikungunya. “Se não houver a mobilização da população o combate nunca será completo. Neste período chuvoso que estamos devemos redobrar nossas atenções ou situação pode piorar ainda mais”, aponta o coordenador da vigilância ambiental da Semusa, Juliano Cunha. Outras cidades, a exemplo de Divinópolis, tiveram a situação da dengue agravada este ano.

 

 

Mobilização

No último fim de semana foram realizadas várias ações que marcaram o “Dia de Mobilização de Combate ao Aedes aegypti”, realizado no sábado (05/03) com as atividades estendidas também no domingo.

Entre o que foi realizado, um Mutirão de Limpeza recolheu no Bairro Belvedere 2.372 kg de materiais diversos que se constituíam em potenciais criadouros do Aedes. Também na localidade conhecida como Bairro Ponte Funda foram retirados, via Arrastão de Limpeza, 800 KG de objetos que poderiam acumular água.

Como forma de estratégia para impedir que o mosquito adulto pique uma pessoa doente e passe a dengue adiante, foi feito um bloqueio - que além da limpeza utilizou bomba costal - num raio de 200 metros no entorno da UPA Padre Roberto e do Hospital São João de Deus.

 

 

Capacitação

Nesta terça-feira (08/03) 150 servidores da Atenção Primária da Semusa - dentre eles médicos, enfermeiros, gerentes e referências de gestão - participaram de uma capacitação que teve como objetivo principal de padronizar o atendimento no município para os casos de dengue, chinkungunya e zika. Desta forma, evitando sequelas destas doenças transmitidas pelo Aedes e, até mesmo, inibindo óbitos decorrentes destes males. A intenção é estender para outros setores da rede pública, como Policlínica e UPA, além da iniciativa privada; como hospitais, laboratórios e clinicas.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.