domingo, 2 de Outubro de 2016 13:54h AGENCIA MINAS

Cemig reforça atenção ao sistema elétrico durante as Eleições 2016

Foi elaborado plano de contingência para o fornecimento a quase 10 mil locais de votação e apuração

A Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) terá operação especial no próximo domingo (2/10),  quando ocorrem as eleições municipais. Mais de dois mil empregados estarão envolvidos no plano para evitar e corrigir eventuais falhas no sistema elétrico dos 774 municípios da área de concessão da distribuidora.

Como parte do plano, a Cemig inspecionou os circuitos que atendem os 9.770 locais de votação e de apuração de votos dentro da área da concessionária – que abrange cerca de 95% do estado. Além disso, considerando a possibilidade de acidentes e danos na rede provocados por diversos fatores, a concessionária convocou contingente extra para trabalhar no dia das votações, tanto nas salas de controle do sistema elétrico quanto em campo.

De acordo com o gerente do Centro de Operação Integrado da Distribuição, Carlos José Thiersch, a empresa contará com diversos profissionais, entre engenheiros, analistas e técnicos, para providenciar a imediata correção de eventuais interrupções no fornecimento de energia elétrica.

“Além dos profissionais, a Cemig possui tecnologia avançada para monitoramento meteorológico e supervisão do sistema elétrico. Softwares, mapas e radar permitem o monitoramento do clima e a rápida identificação das ocorrências no sistema elétrico, desde a falta de energia em uma única residência, até casos que afetam grupos maiores de clientes”, explica Carlos Thiersch.

As urnas eletrônicas possuem baterias que podem ser acionadas em caso de falta de energia elétrica. Além disso, elas independem da internet durante o horário de votação, pois são dispositivos off-line. No entanto, a Cemig espera minimizar o impacto de possíveis danos à rede.

Carlos Thiersch lembra que colisões de veículos com postes, quedas de objetos sobre a rede durante tempestades e outros tipos de acidentes são comuns e não podem ser totalmente evitados, “por isso é essencial que estejamos preparados para agir em todas essas situações, para que as eleições não sejam prejudicadas de forma alguma”.

Sujeira não é legal

O Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG) lançou no início de  setembro a campanha Sujeira Não é Legal, voltada para as Eleições 2016. A iniciativa, realizada em parceira com a Cemig, Polícia Militar e Corpo de Bombeiros, pretende orientar candidatos e eleitores para que seja realizada uma campanha eleitoral mais limpa, segura, tranquila, transparente e sustentável.

Segundo o presidente do TRE, desembargador Geraldo Domingos Coelho, a Justiça Eleitoral mineira pretende, com a iniciativa, estimular uma campanha eleitoral limpa em todos os sentidos, para que abusos não aconteçam. Além disso, a intenção, segundo o desembargador, é que a campanha seja uma forma de diminuir o incômodo que a sujeira eleitoral provoca na vida do cidadão.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.