terça-feira, 21 de Junho de 2016 12:51h Prefeitura de Divinópolis

Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas comemora 1º aniversário

O prefeito de Divinópolis, Vladimir Azevedo, participou no início da tarde desta segunda-feira (20/06) das atividades em comemoração ao primeiro ano de funcionamento do Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (Caps AD)

O serviço tem sido decisivo nos trabalhos de reabilitação de centenas de pessoas que sofrem com os problemas que são decorrentes do uso de drogas e álcool. Além de auxiliar aos usuários, os trabalhos desenvolvidos no Caps AD apoiam a família dos dependentes químicos.

“Hoje temos a percepção que valeu a luta, valeu o investimento. Mesmo com o calote oficial que o município tomou de mais de R$ 1 milhão, verba de custeio que não vem, fora o que é subfinanciado e que não chega no valor devido da inflação. Mas o que vale na vida pública é isso: a gente tentar fazer a nossa parte e nos esforçarmos, somarmos para a sociedade do bem e promover o desenvolvimento. Garantindo qualidade de vida para as pessoas”, destaca Vladimir.

 

 

 

Em um ano de atividades pelo menos 800 pessoas passaram pelo Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas. No espaço assistidos contam com um serviço especializado e composto por uma equipe multidisciplinar composta por assistentes sociais, enfermeiros, técnicos em enfermagem, fisioterapeuta, médico clínico geral e médico psiquiatra, psicólogos, terapeutas ocupacionais, além da equipe de apoio.

“O paciente é acolhido por uma equipe técnica. Uma vez admitido ele é definido com intensivo ou não intensivo podendo freqüentar o Caps todos os dias da semana. Aqui os pacientes recebem assistência em várias áreas e passam por oficinas terapêuticas que auxiliam no tratamento”, explica a diretora de saúde mental da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), Elzi Oliveira.

 

 

 

A estrutura oferecida pelo Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas de Divinópolis têm transformado vidas. Este é o caso do Carla Teixeira de Morais que frequentou o Caps AD por três meses. “Para mim o Caps foi uma grande ajuda para que eu pudesse me tornar uma pessoa melhor. Me ensinou a gente tem que querer ser alguém e que a gente tem que gostar da gente mesmo. Se a gente não se gostar a gente vive aquela vida de escravidão, sendo humilhada. Pra quê isso, né?”, diz Carla.

O Caps AD é um importante instrumento destinado à atenção integral e contínua a pessoas com necessidades relacionadas ao uso prejudicial de álcool e outras drogas.  Este serviço tem desempenhado sua função dentro da Rede de Atenção Psicossocial de Divinópolis, proporcionando melhora na qualidade de vida dos pacientes e familiares.

 

 

 

“No SUS a gente costuma apanhar muito, dizem que este serviço não funciona e que os desafios são muitos. O Caps AD é uma parte do SUS, entre várias outras, que funciona. O SUS não é só hospital ou ESF. Ele é maior do que isso e este serviço proporcionado pela ousadia da Prefeitura de Divinópolis é uma prova que esse sistema pode dar certo e ter bons resultados”, pontua a secretária de Saúde, Kênia Carvalho.

A apresentação de um coral formado por integrantes do Caps AD e a realização de lanche comunitário marcaram as comemorações de um ano desta unidade de saúde.

A porta de entrada aos serviços prestados pelo Caps AD é feita pelas Unidades de Saúde na Atenção Primária. O atendimento funciona 24 horas por dia durante todos os dias do ano.

 

 

 

Casa de Acolhimento

Também foi comemorado o segundo o aniversário da Casa de Acolhimento. Criada em 2014, o espaço é gerenciado pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Semds) e é destinada para pessoas em situação de rua. São 25 vagas e a equipe técnica é composta por uma coordenadora, um assistente social, um psicólogo, um auxiliar de serviços gerais, um porteiro e 10 monitores.

O espaço articula dois serviços específicos: o serviço do migrante e o serviço de abordagem. O serviço do migrante oferta retorno de pessoas desprotegidas socialmente e em trânsito por Divinópolis as suas cidades de origem. O serviço de abordagem é responsável pela localização, contato, vínculo e encaminhamento da população em situação de rua para a casa de acolhimento e outros serviços que possam recebê-los, inclusive os de saúde, quando possuem algum agravo.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.