terça-feira, 10 de Novembro de 2015 08:54h Atualizado em 10 de Novembro de 2015 às 09:02h. Pollyanna Martins

Centro de Especialidades Médicas já funciona no antigo Pronto Socorro

Prometido para agosto, o centro começou os atendimentos ontem, em caráter especial

O Centro de Especialidades Médicas (CEM) começou os atendimentos ontem, em caráter especial. O centro funciona no antigo Pronto Socorro, e foi criado após uma parceria da Universidade Federal São João Del Rei (UFSJ) e a Secretaria Municipal de Saúde (Semusa). O projeto foi anunciado em junho deste ano, com exclusividade ao Gazeta do Oeste, após uma readequação. No dia 6 de abril, o Hospital São João de Deus (HSJD) informou, durante uma coletiva de imprensa, que no local não seria mais a Unidade II da instituição. No mesmo dia, o secretário municipal de saúde, Davi Maia, revelou que ali funcionaria um Centro de Hiperdia.
Em junho, o secretário explicou que o Centro de Especialidades faz parte do programa “Mais Especialidades”, da Secretaria Estadual de Saúde (SES), e que o Centro de Hiperdia estaria incluído no contexto. “O Centro de Hiperdia vai funcionar dentro do contexto do Centro de Especialidades. Nós fizemos uma parceria com a UFSJ. Então nós vamos pegar as potencialidades da Universidade e as potencialidades do município”. Na época, também foi anunciado que a Semusa e UFSJ investiriam, juntas, R$ 150 mil.
De acordo com a assessoria de imprensa da Semusa, “até o final do ano, o centro operará em caráter experimental e de adaptação da equipe. Será um período de testes e aprendizados importantes para, a partir de fevereiro de 2016, iniciar suas atividades de forma definitiva.  Dentro do calendário letivo dos residentes e alunos que fazem parte deste projeto”. Inicialmente, estão definidas dez especialidades médicas: endocrinologista, infectologia, nefrologia, reumatologia, otorrinolaringologista, cardiologia, ginecologia, urologista, pneumologia e cirurgia ambulatorial.
O atendimento será de segunda à sexta-feira, das 7h às 18h. Uma realidade dura que os pacientes enfrentam hoje no SUS é o tempo de espera por uma consulta com um especialista. A demora no atendimento pode ser mais de dois meses. Em junho, o secretário disse acreditar que, com a criação do Centro de Espacialidades, o tempo de espera por consultas diminua. “O tempo de espera por uma consulta deve diminuir. Isso não quer dizer que nós vamos resolver o problema, porque o sistema é muito complexo e a demanda é muito grande”, avalia. Os encaminhamentos para o Centro de Especialidades Médicas Semusa/UFSJ serão feitos por meio das unidades de saúde.

 

Créditos: Rodrigo Dias

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.