sábado, 7 de Março de 2015 07:31h Atualizado em 7 de Março de 2015 às 07:35h. Lorena Silva

Cesta básica atinge o maior valor já apurado por série histórica, aponta NUPEC

Em doze meses, cesta assinalou elevação de 8,6%, passando de R$ 263,04 para R$ 279

O consumidor de Divinópolis também tem sentido no bolso o aumento no valor da cesta básica, que já ocorreu na maior parte das regiões brasileiras. De acordo com dados do Núcleo de Pesquisas Econômicas (NUPEC) da Faculdade de Ciências Econômicas, Administrativas e Contábeis de Divinópolis (FACED), o conjunto de alimentos sofreu um aumento de 6,7% em fevereiro, se comparado ao mês de janeiro, atingindo o valor de R$ 279 – o maior já apurado pela série histórica da pesquisa.
Em um período de doze meses, a cesta assinalou uma elevação de 8,6%, variando de R$ 263,04 para R$ 279. Segundo a pesquisa, o aumento da cesta básica ocorrida no mês passado foi determinado, principalmente, pelo comportamento de alta dos seguintes produtos: tomate, com aumento de 76,29%, batata, 36%, e óleo de soja, 10%. “O preço do tomate foi diretamente afetado pela prolongada estiagem e queda da produtividade causada pelo intenso calor que atingiu as plantações. O preço da fruta vem apresentado tendência de alta desde setembro de 2014”, explica o relatório da pesquisa.
Já o aumento no preço da soja, é justificado pelas consecutivas elevações da taxa de câmbio nos últimos meses, que têm influenciado nas exportações de óleo de soja. Desse modo, o estoque destinado ao mercado interno está se restringindo, gerando escassez do produto e majorações dos preços. “Mesmo com a batata em período de safra das águas nas principais regiões produtoras de Minas Gerais, o preço tem apresentado elevações por causa do baixo nível da oferta, reflexo da baixa produtividade das plantações gerada pelo baixo volume de chuvas”, finaliza o documento.

 

 

FATURAMENTO DE SUPERMERCADOS
Para o setor supermercadista de Minas Gerais, o ano também começou com aumento. Pelo menos é o que mostra o Termômetro de Vendas, pesquisa mensal que a Associação Mineira de Supermercados (Amis) realiza com empresas de todo o Estado, com a intenção de monitorar as vendas. De acordo com esse levantamento, em janeiro os supermercados mineiros venderam 3,64% a mais do que o mesmo período de 2014.
No entanto, a comparação de janeiro de 2015 com dezembro de 2014 revela uma diminuição de 17,33% nas vendas. Segundo a Amis, o resultado pode ser justificado por três motivos principais. “Além da base alta de comparação com dezembro, devido às vendas ocasionadas pelo Natal, janeiro é mês de férias, quando muitos consumidores viajam para fora do estado. Além disso, as despesas com os tradicionais impostos de início do ano acabam concorrendo com o setor”, explica.
Ainda de acordo com a associação, o resultado positivo no primeiro mês é um incentivo para os investimentos do setor ao longo do ano.  A estimativa é que em 2015 o setor deva abrir cerca de 70 unidades no Estado. Os investimentos previstos são de R$ 300 milhões e visam também às reformas de 75 unidades. 

 

INADIMPLÊNCIA
Em contrapartida, o último relatório mensal divulgado pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), de Divinópolis, mostra um aumento no número de endividados no município. No mês passado, o número de registro junto ao SPC Brasil cresceu 36,78%, se comparado ao mesmo período de 2014. Com relação ao mês de janeiro, o número de inadimplentes caiu 23%.
Com relação ao número de consultas realizadas para compras a prazo, o relatório aponta um aumento de 14,15% na comparação com fevereiro do ano passado. Já o número de cancelamentos de registros obteve crescimento de 12,14% no mês passado, se comparado a fevereiro de 2014.

 

 

Crédito: Lorena Silva

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.