sábado, 12 de Setembro de 2015 07:16h Atualizado em 12 de Setembro de 2015 às 07:17h. Pollyanna Martins

Cesta básica registra segunda queda consecutiva

A batata inglesa, o feijão e o tomate foram determinantes para a queda do preço

O preço da cesta básica caiu pela segunda vez consecutiva em Divinópolis. A diminuição do preço foi apontada pela pesquisa realizada pelo Núcleo de Pesquisas Econômicas (Nupec). A cesta, que custava em julho R$ 282,41, passou a custar R$ 264,77 em agosto. A queda foi influenciada pela batata inglesa, que registrou uma queda de 36,8%, pelo feijão (-28%) e pelo tomate (-21,87%). 
Apesar da queda de 6% entre julho e agosto deste ano, de acordo com o Núcleo, a cesta registrou um aumento de 9,77% nos últimos doze meses. A cesta básica é composta pelo leite tipo C, feijão, arroz, farinha de trigo, batata inglesa, tomate, pão francês, café em pó, banana caturra, açúcar cristal, óleo de soja e manteiga.

 

BRASIL
Divinópolis seguiu 15 capitais brasileiras, que também registraram queda no valor das cestas básicas. Entre as capitais que diminuíram o valor da cesta estão: Fortaleza (-4,60%), Salvador (-4,02%), Brasília (-3,46%) e Rio de Janeiro (-2,77%), Belo Horizonte registrou uma queda de 2,20%. Segundo o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), nos oito primeiros meses de 2015, todas as capitais acumularam altas, principalmente Aracaju (15,19%), Salvador (13,92%), Fortaleza (13,24%) e João Pessoa (13,00%).
Ainda de acordo com o departamento, o pão francês seguiu com aumento de preço em 15 cidades entre julho e agosto, já o preço do leite, registrou alta pelo sexto mês consecutivo; o café em pó e a carne bovina também registraram alta. Assim como em Divinópolis, a batata inglesa, o feijão e o tomate influenciaram na baixa da cesta básica. O Dieese informou que, a batata colhida na safra das secas abasteceu o mercado interno, o feijão abaixou o preço devido também à safra de inverno, que abasteceu o mercado interno, e reduziu o preço em agosto. O tomate diminuiu o preço por causa da boa produtividade, que garantiu a oferta da fruta no varejo.

 

SALÁRIO
Conforme a pesquisa divulgada pelo Dieese, em agosto de 2015, o tempo médio necessário para adquirir os produtos da cesta básica foi de 93 horas e 46 minutos, quando a jornada de agosto de 2014, era de 90 horas e 07 minutos. Segundo o departamento, o salário mínimo necessário para a manutenção de uma família de quatro pessoas deveria equivaler a R$ 3.258,16, ou 4,13 vezes mais do que o mínimo atual de R$ 788,00.

 

Créditos: Reprodução
 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.