quinta-feira, 14 de Janeiro de 2016 08:53h Atualizado em 14 de Janeiro de 2016 às 08:56h. Pollyanna Martins

Chuva dificulta rotina de moradores dos bairros Terra e Costa Azul

Há mais de 20 anos, moradores reivindicam por melhorias nos bairros

A dona de casa, Maria Helena Moreira, acompanha há mais de 20 anos a situação caótica em que o bairro Terra Azul, em Divinópolis, se encontra. Dois mundos diferentes em um mesmo local. Quem entra na casa de Maria Helena encontra a residência limpa e cheirosa, mas quando vai sair e chega ao portão, se depara com o mau cheiro e má conservação das ruas. O Gazeta já mostrou a situação do bairro em outras reportagens e acompanha a luta dos moradores por melhorias, mas até hoje nada foi feito. Em época de chuva, o cuidado ao transitar pelas ruas deve ser redobrado.
No bairro Terra Azul não existe uma ou duas ruas precárias, todas estão na mesma situação, os buracos e a lama tomam conta. Em algumas vias chega a ser impossível entrar com o carro. Além da má conservação, os moradores precisam conviver ainda com o esgoto a céu aberto, que escorre pelas ruas. Por causa disso, os ratos e as baratas invadem as residências do bairro.  A dona de casa afirma que gasta mais dinheiro com materiais de limpeza do que com comida. “Se você quiser, eu te mostro [o comprovante do supermercado]. Tem 20 anos que eu moro aqui e a situação é a mesma, entra ano e sai ano. Nós estamos abandonados”, reclama.
Janeiro é um mês com previsão de chuvas, e os moradores já se preparam para enfrentar o desafio de conseguir pegar ônibus nesta época. Como as ruas não têm sequer calçamento, os ônibus não vão a determinados lugares, pois atolam no barro ou quebram. “Quando chove, o ônibus não costuma subir por causa do barro, a gente tem que ir até a rua asfaltada que até onde ele vai. Quem mora no [bairro] Costa Azul é pior ainda, porque eles têm que vir até aqui, no Terra Azul, para pegar ônibus, ou ir até a estrada do Buritis pra pegar ônibus lá”, conta. Entrar e sair de casa com um veículo é uma verdadeira aventura. Os buracos nas ruas dão a sensação de estarmos em um verdadeiro “rally dos sertões”. “Um caminhão que veio fazer entregas de material de construção atolou aqui embaixo, agora mesmo. Tem que tomar cuidado pra sair de casa com o carro, pra não atolar nesse barro”.

 


MAU CHEIRO
Até andar a pé pelas ruas é perigoso. O pedestre deve ficar atento para não cair em um, dos muitos buracos, em que o esgoto escorre. O mau cheiro toma conta do bairro, é difícil até respirar. Maria Helena conta que a situação é assim durante todo dia, mas na parte da manhã, o fedor aumenta, e o problema piora com o aparecimento de ratos e baratas. “O dia inteiro, a noite inteira, é esse fedor. O que eu gasto com desinfetante e veneno para barata. Em todas as casas aparecem muito [ratos e baratas]. Eu já até liguei para a Vigilância Sanitária, pra saber o que podia ser feito, mas não tive nem retorno. Eu mantenho a minha casa toda limpa para aparecer esse tanto de bicho”, lamenta.
Mesmo com o risco de doenças, as crianças brincam em meio aos buracos, que acumulam esgoto. “As mães aqui do bairro gastam demais com remédios, por causa de alergias. Quando os meus filhos eram pequenos, eu gastava muito dinheiro com repelente, por causa dos pernilongos. Hoje, a gente vê direto esses meninos brincando aqui na rua, no meio desses esgotos”, detalha.

 


COSTA AZUL
Os moradores do bairro Costa Azul enfrentam uma situação igual aos moradores do bairro Terra Azul. Em estado precário, sem calçamento e tomada pelo barro, uma rua liga os bairros. Mais uma vez, os cuidados devem ser redobrados. A aposentada, Maria Luiza dos Santos, mora no bairro há quatro anos e conta que ônibus vai só até determinado ponto, pois também atola nas ruas. “Os ônibus não estão indo lá embaixo por causa dos buracos, se não atola, aí é só Deus. Quem tem carro aqui no bairro tem que ter muito cuidado. Nós estamos esquecidos pela Prefeitura. Poderiam pelo menos calçar as ruas, para facilitar a nossa vida aqui, mas não fazem nada”, reclama.

 


POSICIONAMENTO
A dona de casa, Maria Helena, reclama que apenas em ano eleitoral que os políticos vão aos bairros para prometer obras. Assim que as eleições acabam, nada é feito.
Nossa reportagem entrou em contato com a Prefeitura de Divinópolis, que informou, através de sua assessoria de imprensa, que obras de asfaltamento estão previstas para o primeiro semestre deste ano nos bairros Terra Azul e Costa Azul.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.